(Fonte da imagem: Japan Daily Press)

Em se tratando de tecnologia, os japoneses são rápidos no gatilho. Mais uma prova disso é que o projeto de criação do trem mais rápido do mundo, cujo andamento havia sido interrompido, vai retomar os testes do meio de transporte.

O trem funcionará através de levitação magnética e poderá alcançar a marca de até 500 km/h. Por enquanto, a extensão é de quase 43 quilômetros e tem investimento de US$ 52 bilhões. A Companhia Ferroviária Central do Japão (JR Tokai) começará a trabalhar efetivamente na linha em abril de 2014.

Só para exemplificar, uma viagem de Tóquio até Nagoya levaria apenas 40 minutos no novo trem, contra os 95 atuais. Isso significa um acréscimo de 286 km/h na velocidade.

O projeto representa um desafio de outras proporções para a companhia ferroviária: o encolhimento da população do Japão, fato que diminuiria a demanda pelo trem. Projeções feitas pelo Instituto Nacional de População apontam que, até 2027, a população daquele país deve diminuir para 117 milhões de habitantes, 10 milhões a menos do que as atuais estatísticas.

O teste deve envolver cerca de 12 trens que, juntos, terão um comprimento total de 299 metros. O chefe-executivo da JR Tokai, Yoshiyuki Kasai, acredita que a tecnologia poderá ser exportada aos Estados Unidos para que se torne o “padrão internacional”.