Testar novidades é sempre algo fantástico e surpreendente, mas nem tudo que é novo representa grande inovação. Os computadores com telas sensíveis ao toque já não são novidades, todavia estava demorando a lançarem um PC realmente capaz de fazer proezas e ainda oferecer a usabilidade via toque na tela.

Depois de disponibilizar notebooks com recursos touchscreen de alta qualidade, a HP resolve melhorar sua linha de computadores “All-in-one” (Tudo em um), incluindo novas configurações de hardware e uma tela ainda maior. Como já de costume, a fabricante nos enviou um PC de mesa da nova série de Touchsmart para testarmos e avaliarmos tudo que ele tem a oferecer.

Apresentamos o HP Touchsmart 600

O Touchsmart 600 é um dos novos modelos que prometem revolucionar o jeito de utilizar o PC diariamente. Contando com recursos práticos e focados no entretenimento, o modelo 600 foi definitivamente moldado para o público que preza pela beleza. Abaixo você pode conferir as especificações do produto:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 ProcessadorIntel Core2Duo T6400 2,0 GHz
 Memória RAM
 4 GB de memória RAM
 Placa de vídeo
 NVIDIA GeForce GT230 com 1 GB de memória
 Disco rígido
 Western Digital 500 GB
 Placa de som
 Realtek High Definition com suporte para 5 canais
 Placa de TVSim (compatível com TV analógica)
  
 Tamanho da tela
 23" (polegadas)
 Resolução padrão
 1920 x 1080 pixels
 Sensível ao toque
 Sim
  
 Número de portas USB5 (2 laterais e 3 traseiras)
 Conexões para áudioFone e microfone (lateral) e entrada e saída de áudio (traseira)
 Conexões de vídeoS-Video
 LAN (Rede)Compatível com redes 10/100/1000 (porta traseira)
  
 BluetoothSim
 WLAN (Rede wireless)Sim. Compatível com redes do tipo 802.11b/g/n
  
 TecladoBluetooth com pilhas (padrão ABNT2)
 MouseBluetooth com pilhas (tipo ótico)
 Controle remotoInfravermelho (funções multimídia acessíveis pelo controle)

Design, conexões e acessórios

Nossa análise começa com a embalagem do produto, que por sinal é bem grande. Decorada com uma imagem muito bonita do novo Touchsmart, a caixa impressiona e dá até pena jogá-la no lixo. Depois de abrir podemos ver diversos isopores protegendo o PC, justamente porque ele possui uma tela sensível e danos podem ocorrer com facilidade. O HP Touchsmart 600 vem acompanhado de manuais, sensor infravermelho externo, teclado, mouse e um bonito controle remoto.

Não há como negar que o Touchsmart 600 é mais do que bonito, até porque o que mais chama a atenção neste computador é a aparência. Contando com belas curvas, acabamento em black piano e detalhes cromados, o novo Touchsmart pode ser considerado uma peça de decoração. E o design do produto não está presente apenas em seu acabamento, mas principalmente no posicionamento dos botões e itens.

Drive de DVD do HP Touchsmart 600

A câmera embutida do Touchsmart 600 fica posicionada sobre a tela, justamente como ocorre nos notebooks da HP. Ao lado esquerdo há conexões para fones de ouvido, microfone, duas portas USB e um botão que possibilita ligar a lâmpada na parte inferior da tela. À direita há um leitor de cartões de memória,  botões para regular o volume, indicador de utilização do disco rígido, unidade de DVD e o botão para ligar o micro.

Na parte frontal do HP Touchsmart 600 existe apenas um botão, que dá acesso ao aplicativo HP TouchSmart (vamos comentar mais sobre ele posteriormente). Por fim, na parte de trás do produto há um compartimento que esconde as demais conexões do computador. Entre as tantas estão três portas USB, conexões para entrada e saída de áudio, conector para antena externa, porta para cabo de rede e uma conexão do tipo S-Video.

Visão frontal

Ainda na parte da frente podemos visualizar as caixas acústicas inseridas na parte inferior da tela. É possível visualizar quatro alto-falantes (dois em cada lado), os quais possivelmente  devem proporcionar ótima qualidade - depois vamos falar sobre tal aspecto. Vale frisar que ainda há adesivos do Windows 7, da Intel e de uma logo pequena da HP.

O cabo de energia é conectado na parte traseira do produto, sendo que o pino utilizado é bem pequeno e leva até uma fonte maior que deve ser conectada à tomada. Obviamente este PC não possui conexão do tipo HDMI, pois a tela do próprio computador é utilizada como saída de vídeo.

Um pequeno inconveniente deste computador está no peso excessivo e nas dimensões avantajadas.  No entanto, devemos levar em consideração que dificilmente haveria como o PC ser mais leve, visto que o tamanho da tela é grande e com os tantos componentes de hardware internos, realmente não haveria como obter leveza e dimensões tão inferiores.

Para que o HP Touchsmart possa ficar numa posição confortável para o usuário, a HP adicionou dois pés embaixo do produto e um apoio ajustável na parte traseira. Apesar de não ser o mais seguro do mundo, esse modo de apoio possui uma trava e garante que o computador permaneça imóvel em superfícies comuns.

Visão lateral do produto

Mesmo tendo alguns pequenos inconvenientes, a maioria das conexões do HP Touchsmart 600 permite fácil acesso, sendo que as que ficam localizadas na parte de trás são menos utilizadas. O acabamento deste computador é excelente e mostra que a HP realmente quer vender um dos mais bonitos PCs que já produziu.

Ainda falando em design, não poderíamos deixar de comentar sobre os acessórios que acompanham o produto. O teclado bluetooth é, sem dúvida, um dos mais elegantes que já visualizamos. Com uma espessura bem reduzida, botões macios e diversos atalhos (que podem ser usados como nos notebooks, através da tecla Função), a HP conseguiu impressionar mais uma vez. Vale salientar que o teclado é bem baixo e não há necessidade de utilizar apoio para os punhos, visto que o usuário deve utilizar a mesa para isso.

O mouse do HP Touchsmart 600 também é bem bonito e não deixa de ser confortável. Com um visual brilhoso e os botões básicos, o usuário consegue navegar tranquilamente. Infelizmente, o mouse não conta com a tecnologia laser, mas ainda sim serve perfeitamente para se utilizar todos os dias. O controle remoto também merece destaque, principalmente por possuir uma infinidade de funções úteis aos usuários que usam o PC como centro de entretenimento.

Visão da parte de trás

Testes iniciais

Depois de verificarmos a aparência do HP Touchsmart 600, ficamos curiosos para conhecer toda a máquina que estava por trás da tela touchscreen. Infelizmente a primeira impressão sobre o produto já não foi das melhores, pois o tempo para inicialização não foi muito agradável. Obviamente devemos considerar que por trabalhar com o sistema touchscreen este PC deve carregar arquivos a mais e talvez esse seja o motivo da demora.

Em nossos testes o tempo de inicialização foi de aproximadamente 1 minuto e 20 segundos, em alguns variando para mais ou menos (realizamos o mesmo teste diversas vezes). É importante dizer que testamos o tempo de inicialização até que o Windows estivesse pronto para uso (depois da tela de login). Vale salientar que a configuração de hardware do Touchsmart 600 não deixa a desejar e possivelmente poderia obter um tempo menor se não fosse a grande quantidade de aplicativos HP e recursos touchscreen que carregam durante a inicialização.

Botão para ligar o computador

O computador consegue trabalhar com o Windows sem quaisquer dificuldades, inclusive apresenta ótimo desempenho para tarefas diárias. Mesmo que você use navegador, processador de textos, mensageiro, programas multimídia e ainda deixe aberto em segundo plano o editor de imagens, outro navegador e mais uma dezena de softwares, o HP Touchsmart não vai decepcionar.

Obviamente não deixaríamos de avaliar a capacidade do computador para carregar vídeos no YouTube, tarefa que tornou-se pesada para alguns computadores. Por se tratar de um PC voltado para recursos multimídia, o HP Touchsmart 600 encarou os vídeos do YouTube sem problema algum. Foi possível reproduzir e carregar diversos vídeos simultaneamente com qualidade HD (720p) e Full HD (1080p) sem notar quaisquer travadas.

Testando o Touchsmart e a tela sensível ao toque

O principal destaque do HP Touchsmart 600 é a tela sensível ao toque, que apesar de não ser mais novidade é um detalhe que chama a atenção de qualquer consumidor. A tela de 23” deveria ser ideal para trabalhar com recursos sensíveis ao toque, porém muitos consumidores devem sofrer com a falta de precisão. Em nossas verificações, a resolução Full HD da tela não ajudou muito, pois fica muito complicado para que o computador reconheça o ponto exato onde o usuário está tocando.

O grande problema da tela do Touchsmart não está nem na falta de precisão, mas sim em alguns pequenos defeitos de funcionamento, como exemplo: nos cantos da tela fica muito complicado clicar, sendo quase impossível fechar alguma janela quando maximizada. Foi a partir desse pequeno problema que acabamos descobrindo que ao clicar na borda da tela (na parte plástica), onde não deveria ser sensível ao toque, o usuário consegue finalizar um programa.

Ao menos, o tempo de resposta do HP Touchsmart 600 atende as expectativas dos utilizadores. É possível criar desenhos, arrastar janelas e itens sem a necessidade de aguardar o processador ficar pensando. A edição e a criação de imagens são tarefas que não são difíceis de realizar graças ao rápido tempo de resposta, todavia por se tratar de uma tela comum, o usuário não pode reclamar da falta de qualidade. Diferente das mesas digitalizadoras, a tela do HP Touchsmart não reconhece diferentes níveis de pressão e mesmo que você use uma caneta própria para telas touchscreen não é fácil desenhar.

Uma das tarefas que pode ser mais interessante com a tela touchscreen é a criação de músicas. Você pode utilizar sintetizadores, teclados e outras opções como se realmente estivesse trabalhando com instrumentos reais. Vale salientar que há também uma proteção de tela exclusiva para o Windows Touchscreen, a já conhecida Microsfot Surface Lagoon, onde é possível brincar com um pequeno lago e criar ondas tocando na tela. É uma frescura sim, mas com certeza impressiona os utilizadores.

Quem está se perguntando quanto ao uso diário do touchscreen, talvez minha experiência semanal com este produto possa sanar algumas dúvidas. Primeiramente é importante dizer que quem está acostumado com mouse e teclado dificilmente vai abandonar os recursos e praticidades dos antigos acessórios. Não é nada fácil usar o navegador, o processador de textos e outros aplicativos com o teclado virtual.

Ainda que seja fácil acessar os menus de contexto usando o botão direito via toque (basta segurar o dedo na mesma posição por alguns segundos para que ele funcione como botão direito do mouse), o usuário obtém mais rapidez com a forma antiga. Vale salientar ainda que não é fácil usar o toque apenas como a flecha do mouse, pois qualquer encostada na tela já é interpretada como um toque (e o computador acaba acessando o link). Tal fator complica muito o uso do navegador, pois em sites onde há links duvidosos você não tem como  identificar o ícone posicionando o dedo sobre o link.

HP Touchsmart 600

Apesar de alguns inconvenientes, a tela sensível ao toque traz diversos benefícios, como: o zoom através dos dedos (use dois dedos para aumentar e diminuir imagens), a navegação facilitada (basta deslizar o dedo) e a possibilidade de rotacionar imagens com apenas um gesto na tela. Talvez tudo isso seja legal, mas com certeza não é prático nem fácil. A grande maioria dos usuários deve achar o máximo testar um computador destes, mas no cotidiano os recursos touchscreen acabam sendo ignorados.

Aproveitamos os testes da tela para avaliar alguns softwares da HP, entre eles o próprio Touchsmart. Além disso, analisamos o Windows Media Center e seu respectivo funcionamento com a tela sensível ao toque. Todos os aplicativos funcionaram sem quaisquer problemas e foi muito fácil utilizá-los, o que mostra que a tela touchscreen tem suas qualidades quando utilizada em softwares próprios para tal função e com a ajuda de botões maiores.

Desempenho

Nossos testes iniciais foram suficientes para concluir que o HP Touchsmart 600 é perfeito para usar diariamente, mas será que ele é um PC capaz de executar games e aplicativos mais pesados? Pensando nisso, realizamos diversos testes com programas de Benchmark, jogos e aplicativos de edição de imagens.

Os primeiros testes foram realizados apenas para verificar o desempenho ao usar aplicativos como o iTunes e o Quicktime. O HP Touchsmart 600 conseguiu executar ambos os programas simultaneamente, realizando a conversão de arquivos MP3 no iTunes e ainda reproduzindo vídeos com qualidade Full HD no Quicktime. A conversão das músicas levou precisos 48 segundos.

Nossos  testes seguintes foram realizados para averiguar o desempenho do processador, por isso usamos os programas abaixo:

  • HyperPi
  • PCMark Vantage
  • Photoshop CS4

Com o HyperPi pudemos notar a capacidade de cálculos do processador, averiguando a rapidez para calcular o número pi com 4 milhões de dígitos. O resultado foi razoável para um processador Intel Core2Duo, mostrando que o HP Touchsmart 600 é ideal para tarefas rápidas. Abaixo você pode conferir uma imagem que obtivemos após a realização do teste com o HyperPi.

Resultados

O teste com o PCMark Vantage é um bocado diferente e apresenta pontuações baseadas no desempenho e velocidade do processador. O aplicativo costuma realizar testes diversos para determinar o quão rápido é o PC para trabalhar com imagens e tarefas mais comuns. Em nossos testes pudemos concluir que o processador do Touchsmart não se mostrou muito eficiente. Veja a imagem do resultado:

Resultados

A análise que fizemos com o Photoshop não foi para medir tempo, mas apenas para avaliar a capacidade do PC ao trabalhar com documentos grandes. Através da utilização de imagens de dimensões elevadas, pudemos notar que o processador patina e muitas vezes não responde aos comandos do Photoshop. Em alguns casos ocorreu de o programa travar, pois o CPU não conseguiu dar conta do recado. Apesar disso, para imagens comuns o Photoshop funcionou perfeitamente e mostrou resultados em poucos segundos.

A terceira bateria de testes foi realizada com softwares mais pesados e focados na avaliação da placa de vídeo. Ao visualizar nas configurações que o HP Touchsmart trazia uma NVIDIA GeForce GT230, ficamos desconfiados da real capacidade do GPU ao trabalhar com gráficos realmente robustos. Todavia, alguns resultados até impressionaram. Para avaliar o desempenho da placa gráfica utilizamos os seguintes softwares:

  • 3DMark Vantage
  • CineBench
  • Resident Evil 5 Benchmark
  • Stalker Benchmark
  • Unigine Heaven Benchmark

Todos os testes foram realizados com configurações máximas e também com configurações médias. A resolução sempre foi mantida em 1920 x 1080 pixels (resolução padrão e máxima da tela). As análises foram realizadas separadamente, sem a utilização de softwares rodando em segundo plano.

O primeiro aplicativo testado é o mais utilizado para avaliação gráfica, porém ele não exibe resultados em FPS (quadros por segundo), o que dificulta a compreensão e interpretação dos dados. Por isso, os demais testes podem fazer mais sentido aos utilizadores que desejam detalhes sobre a capacidade gráfica do Touchsmart 600. O resultado do 3DMark Vantage você confere abaixo:

Resultados

Detalhe: os resultados em vermelho indicam a pontuação do computador mais rápido que realizou os mesmos testes.

O segundo teste permitiu averiguar a capacidade gráfica da placa ao trabalhar com o OpenGL. Como já esperávamos, a placa de vídeo GeForce GT230 não teve grande sucesso e sempre manteve uma taxa de quadros razoável. Foi possível notar diversas travadas durante a verificação, mas como este software serve apenas para testes, não significa que a placa gráfica vá se comportar exatamente igual em jogos. O resultado do teste com o CineBench é o seguinte:

Resultados

Finalmente um teste que faz mais sentido: Resident Evil 5. O jogo lançado no ano passado possui ótimos gráficos e por isso requisita uma placa de vídeo robusta. Ao analisar o jogo em configurações máximas (com filtros ativados), notamos que a placa manteve uma taxa muito baixa de quadros, sendo impossível aproveitar o jogo. Quando configurado em opções medianas, notamos que a taxa de quadros aumentou significativamente (alcançou mais de 30 FPS) e inclusive possibilita que o jogador desfrute do game. Veja os resultados:

Resultado com configurações máximas

A GeForce GT230 passou no sufoco o Benchmark...

Resultado com configurações médias

Desempenho aceitável... palmas para a placa de vídeo

O segundo teste com um jogo foi um pouco mais surpreendente e permitiu concluir que a placa de vídeo NVIDIA GeForce GT230 deve aguentar boa parte dos jogos atuais (ao menos em configurações médias ou baixas). O Stalker é um jogo relativamente pesado, fator que fez a placa de vídeo ser testada mais uma vez ao extremo. O engraçado nos resultados é que tanto em configurações medianas com as opções mais elevadas, o jogador consegue uma taxa de quadros aceitável. Os resultados você confere abaixo:

Resultado com configurações máximas

Resultados

Resultado com configurações médias

Resultados

O último teste foi realizado apenas para curiosidade, pois é óbvio que o Unigine Heaven Benchmark foi criado para placas de última geração. A GeForce GT230 conseguiu rodar os benchmarks em diferentes configurações, mas nem mesmo com qualidade média é possível dizer que a taxa de quadros é adequada. Veja os resultados:

Resultados apertados...

Enfim, com tantos testes realizados fica fácil concluir que o HP Touchsmart 600 não foi feito para jogos, mas possivelmente servirá para dar um gostinho de boa parte dos games atuais. Apesar da falta de capacidade em jogos, a placa de vídeo GeForce GT230 aguenta rodar tranquilamente vídeos em alta definição, o que mostra que o PC realmente atende aos recursos multimídia.

Tela, áudio e TV

Os testes com o HP Touchsmart 600 foram cansativos e extensivos, pois havia um grande número de configurações e recursos a serem checados. Deixamos a parte da tela e do áudio para o fim justamente porque são detalhes que não devem influenciar tanto na hora da comprar. Primeiramente vamos falar de um sério defeito do HP Touchsmart 600: a tela sensível ao toque.

Tudo bem, já falamos que o touchscreen não é dos melhores, mas queremos mostrar aqui outros detalhes da tela. O principal problema consiste na tela altamente reflexiva, impossível de utilizar em ambientes muito iluminados. Até mesmo com a tela ligada pode-se enxergar objetos nitidamente atrás do usuário. Além disso, a tela não possui botões para mudança de brilho, contraste e outras configurações, sendo necessário que o usuário modifique tais detalhes através do Windows.

A qualidade do som não deixa a desejar, mas na realidade o que decepciona é a falta de um conector de áudio digital. As conexões para fones de ouvidos proporcionam boa qualidade, mas a HP poderia perfeitamente adicionar uma conexão a mais (como nos notebooks) e também enviar um fone como acessório do computador.

Tela bonita, mas reflete muito...

Um detalhe interessante no HP Touchsmart 600 é a presença da placa de TV. Averiguamos apenas a qualidade com o sinal analógico e a placa desempenhou um bom papel em parceria com o Windows Media Center. Tudo pode ser acessado pelo controle remoto, mas a placa de TV não chega a ser um destaque em um PC repleto de novidades.

Por último vale fazer alguns comentários sobre a webcam, que decepcionou muito em alguns casos. Nos primeiros testes com o Skype, a webcam simplesmente não funcionou, o que levaria muitos usuários à loucura, afinal ninguém quer uma primeira experiência sem bons resultados. Enfim, a qualidade também não é das melhores, mas deve ser razoável para chamadas em ambientes bem iluminados.

Preço e conclusões

Até agora falamos muito sobre os diversos recursos e configurações do HP Touchsmart 600, mas está na hora de revelar o preço do brinquedo. Em grande parte das lojas é possível encontrar esse PC “All-in-one” pela bagatela de 6 mil reais (em alguns lugares mais do que isso até). O preço impressiona, mas se justifica pela alta tecnologia e configuração de hardware do PC, todavia quem está cogitando a ideia de ter um PC com tela touchscreen deve considerar bem esse detalhe antes de adquirir o produto.

Uma semana de testes com o HP Touchsmart foi suficiente para perceber que os recursos touchscreen talvez não sejam a melhor opção para trabalhar com computadores. Apesar de ser ideal para smartphones e tablets, o touchscreen torna-se muito complexo e complicado em uma tela tão grande como a do HP Touchsmart 600. Além da falta de precisão, a praticidade não funciona como deveria e o usuário acaba ficando tão decepcionado que apela para o mouse.

Por todas as funções e tecnologias, o HP Touchsmart 600 é recomendado apenas para consumidores com dinheiro sobrando e que realmente desejam ter uma experiência nova (e possivelmente frustrante) com a tecnologia Touch. Vale salientar ainda que este computador é ideal para entretenimento, mas é possível adquirir computadores com melhores configurações pela metade do preço.

Cupons de desconto TecMundo: