Serviço faz ligação direta entre seus dispositivo, evitando nuvem (Fonte da imagem: Reprodução/BitTorrent)

Depois dos escândalos de espionagem da NSA, muita gente está pensando duas vezes antes de guardar seus dados em serviços de armazenamento em nuvem. Mesmo que essas empresas não tenham a menor intenção de disponibilizar suas informações para os governos, elas podem ser obrigadas a fazer isso por instrumentos legais ou até mesmo “questionáveis”, no caso das agências de espionagem norte-americanas. Tentando pegar uma carona nesse bonde, o BitTorrent Sync anunciou a liberação de uma API de sincronização gratuita para desenvolvedores e comentou ainda que a velocidade do serviço foi melhorada. Um app para iPad agora está disponível, assim como os já conhecidos para Android, Windows e Linux.

Mas porque o BitTorrent Sync seria diferente de outros serviços que fazem a mesma coisa? O fato de que o app não guarda seus documentos em qualquer servidor de armazenamento em nuvem. Ele simplesmente sincroniza seus arquivos entre dispositivos e, quando está tudo terminado, somente os seus aparelhos possuem os documentos e mais ninguém.

A empresa ainda anunciou bons resultados para seu aplicativo. Já são mais de um milhão de usuários ativos por mês, sendo que todo esse pessoal já transferiu mais de 30 petabytes em dados até o momento. Com a atualização da API do serviço a transmissão de dados deve alcançar os 90 MB/s, tanto em apps da empresa quanto nos de terceiros que usarem a API para criarem seus próprios serviços. De acordo com o BitTorrent, esse seu complemento pode ser usado no desenvolvimento de ferramentas para qualquer sistema operacional, e a empresa está disposta a dar assistência a qualquer desenvolvedor que quiser trabalhar com isso.

Cupons de desconto TecMundo: