Cerca de 10 anos atrás, Elon Musk usou o blog da sua então pequena empresa automotiva, a Tesla, para publicar a primeira parte de seu “Plano Mestre Ultrassecreto”, revelando ao mundo quais passos seriam necessários para conseguir criar carros elétricos acessíveis para todas as famílias. Agora que a companhia está dando início às etapas finais desse primeiro cronograma, o “Tony Stark da vida real” decidiu finalmente compartilhar a segunda parte da sua estratégia.

Basicamente, o novo plano da Tesla se baseia em quatro pilares centrais e tem como objetivo acelerar o processo de saída da humanidade da era dos combustíveis fósseis. Todas as etapas soam bastante ambiciosas, mas o executivo explicou em detalhes como pretende torná-las realidade nos próximos anos. Confira os detalhes:

Passo 1: energia do sol no seu carro

A primeira medida a ser tomada nesse sentido é a criação de tetos com painéis solares integrados a um sistema de armazenamento de energia em baterias, algo que envolve tanto a empresa de Musk quanto a SolarCity – que recebeu uma proposta de compra da companhia automotiva em junho.

Com esse novo “produto de teto-solar-com-bateria”, os usuários poderiam gerar e acumular sua própria energia, gerenciando tudo por meio de um aplicativo para dispositivos móveis. Isso, no entanto, não seria possível se ambas as companhias continuarem a funcionar separadamente. “Agora que a Tesla está pronta para fazer o Powerwall em escala e a SolarCity consegue fornecer [tecnologia] solar diferenciada, é hora de unir uma à outra”, explica.

A Tesla pretende colocar painéis solares estilosos no teto dos seus carros

Passo 2: mais tipos de veículos

Hoje, a Tesla está diretamente envolvida nos segmentos de sedãs premium e SUVs, mas a segunda parte do plano secreto de Elon Musk envolve a expansão para outras áreas. Com a chegada do Model 3 junto a uma futura SUV compacta e a um novo tipo de picape, a companhia tem a intenção de competir em grande parte do mercado automotivo.

Com isso em mente, a empresa deseja acelerar o máximo de puder o crescimento de sua capacidade de produção. Para isso, a equipe de engenheiros da Tesla voltou seu foco para o desenvolvimento das “máquinas que produzem máquinas”. Segundo cálculos da Tesla, é possível melhorar esse fator de cinco a dez vezes em um ciclo de dois anos.

A empresa pretende competir em grande parte do mercado automotivo

Além dos veículos para consumidores, o plano também inclui a criação de caminhões para trabalhos pesados e soluções totalmente elétricas para transporte urbano com alta densidade de passageiros. “Ambos estão nos estágios iniciais de desenvolvimento na Tesla e devem estar prontos para serem revelados ano que vem. Acreditamos que a Tesla Semi vai proporcionar uma redução substancial no custo do transporte de cargas, ao mesmo tempo em que vai aumentar a segurança e tornar a operação divertida”, escreveu Musk.

Passo 3: autonomia total e segurança

Em uma atitude no mínimo ousada se considerarmos que não faz muito tempo desde o primeiro acidente fatal envolvendo um dos carros que usam o sistema de piloto automático da empresa, Musk diz que a Tesla vai investir em tornar a direção autônoma 10 vezes mais segura que a condução por humanos. Para isso, os veículos contarão com hardware capaz de manter você na estrada sem problemas mesmo se um dos sistemas sofrer com falhas.

Musk ressalta, no entanto, que essa tarefa vai precisar de muito tempo, já que o refinamento e validação do software necessário vai demorar muito mais do que a simples instalação de câmeras, radares, sonares e aparelhos de computação. Depois disso, ainda será necessário esperar até que as autoridades regulatórias globais aprovem tudo, o que vai demandar “algo na ordem de 10 bilhões de quilômetros rodados – a frota de aprendizado da Tesla atualmente acumula 5 milhões de km por dia.

A Tesla vai investir em tornar a direção autônoma 10 vezes mais segura que a condução por humanos

Uma vez que a direção totalmente autônoma for liberada pelos reguladores, Musk acredita que você poderá basicamente “invocar” o seu Tesla independentemente de onde estiver. E quanto estiver no carro, poderá dormir, ler ou fazer qualquer outra atividade que desejar enquanto segue para seu destino.

Passo 4: compartilhamento é o futuro

Quando o sistema 100% autônomo da empresa estiver em pleno funcionamento, os usuários poderão apertar um botão em seus aplicativos móveis para adicionar seus carros à frota compartilhada da Tesla. Basicamente, isso permitiria transformar seu veículo em uma espécie de táxi sem motorista, gerando mais renda para você enquanto estiver no trabalho ou durante viagens de férias.

Você poderá colocar seu veículo 100% autônomo para ganhar dinheiro enquanto faz outras coisas

De acordo com Musk, esse último passo servirá para diminuir significativamente – e potencialmente até eliminar completamente – os gastos que você teria com o financiamento do automóvel. “Isso reduz dramaticamente o verdadeiro custo de aquisição, a tal ponto que praticamente qualquer um poderá ter um Tesla”, afirma o executivo.

Como a maioria dos carros só são usados por seus donos durante 5 ou 10% do dia, Musk acredita que a utilidade econômica fundamental de um veículo verdadeiramente autônomo deve ser várias vezes maior do que a de um automóvel sem esse tipo de tecnologia. “Em cidades onde a demanda exceda a oferta, a Tesla vai operar sua própria frota, garantindo que você sempre possa andar com a gente independentemente de onde estiver”, conclui.

Que tal um carro capaz de pagar o próprio financiamento?

E aí, o que achou do grande plano secreto do “Tony Stark do mundo real” para um futuro mais sustentável? Deixe sua opinião nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: