Paulo Bernardo, o ministro das Comunicações. (Fonte da imagem: Reprodução/TargetHD)

Algumas pessoas já contam com televisores ou adaptadores que permitem o recebimento de sinal digital em seus aparelhos de televisão — de modo que há a possibilidade de aproveitar alguns benefícios, como a melhor qualidade de imagem. No entanto, ainda há uma quantidade enorme de brasileiros que contam somente com a TV analógica.

O problema é que o sinal digital vai ser o único em operação a partir do ano de 2018, época em que o governo federal brasileiro vai interromper a emissão do sinal analógico. Se isso acontecesse agora, milhões de pessoas — principalmente as de classes sociais mais baixas — não teriam acesso aos diversos programas de televisão que são produzidos.

Apesar de ser uma situação que chama a atenção de algumas pessoas, parece que os representantes do governo não estão “assustados” com isso e já estão tomando providências. De acordo com Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, há um compromisso assumido de levar o sinal digital a todos os cidadãos, de forma que ninguém seja privado do sinal aberto de televisão.

Algumas informações importantes

Em uma entrevista para o pessoal do site Olhar Digital, o ministro afirmou que os planos do governo são de um desligamento gradual da transmissão analógica até 2018. No entanto, o governo está estudando as melhores soluções para conseguir levar a programação digital a todos — há, inclusive, um plano que prevê o subsídio de televisões ou adaptadores aos menos favorecidos.

Além de tudo isso, falando sobre uma possível não utilização da frequência de 2,5 GHz pelas empresas de telefonia com o 4G, Bernardo afirmou que o governo nem tem planos de destinar o sinal a outros objetivos. Com isso, o fim das operações com programação analógicas é certo e apenas uma questão de tempo.

Cupons de desconto TecMundo: