(Fonte da imagem: Shutterstock)

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, multou na última segunda-feira (22) sete fabricantes de televisores acusadas da prática de propaganda enganosa. O motivo foi a falta de esclarecimentos sobre a qualidade da imagem oferecida por televisores de plasma, o que resultou em problemas diversos para os consumidores.

Segundo o Ministério da Justiça, as empresas não alertavam sobre a possibilidade de acontecer um efeito conhecido como “burn in” — manchas permanentes no display decorrentes do uso prolongado dos aparelhos, principalmente quando eram reproduzidos conteúdos em que certos elementos ficavam fixos em um local da tela.

Alguns aparelhos chegavam a ser demonstrados rodando vídeos em DVD, como forma de garantir que as imagens mostradas aos consumidores fossem as melhores possíveis. Como em 2006 (ano em que a denúncia ocorreu) o sinal digital ainda não era difundido no país, muitas pessoas eram surpreendidas com a baixa qualidade com a qual a programação analógica era reproduzida nos televisores.

Valores

Confira abaixo o valor das multas aplicadas, que devem ser depositadas a favor do Fundo de Defesa de Direitos do Consumidor com o objetivo de patrocinar projetos voltados à proteção do patrimônio público, meio ambiente e defesa dos consumidores:

  • Gradiente Eletrônica S.A — R$ 240 mil;
  • LG Electronics da Amazônia Ltda. — R$ 1,85 milhão;
  • Panasonic do Brasil Ltda. — R$ 790 mil;
  • Philips da Amazônia Indústria Eletrônica Ltda. — R$ 290 mil;
  • Samsung Eletrônica da Amazônia Ltda. — R$ 910 mil;
  • Semp Toshiba S.A — R$ 25 mil;
  • Sony do Brasil Ltda. — R$ 900 mil.

Fonte: Portal do Ministério da Justiça

Cupons de desconto TecMundo: