(Fonte da imagem: Philips)

Quanto mais canais, melhor. Há alguns anos, comprar um televisor era uma tarefa bem mais simples. A preocupação maior dos consumidores era saber a quantidade de canais suportados e se o modelo cabia ou não na estante da sala. Hoje, entretanto, observar apenas essas características é praticamente impossível.

Diversos tipos de tela, tamanhos variados, resolução de imagem cada vez mais apurada, características sonoras e, claro, preço são alguns dos pré-requisitos básicos que você deve observar antes de levar um novo aparelho para casa. Ainda assim, ano após ano, a cada nova geração de televisores cresce o número de itens a serem levados em consideração.

Pensando nisso, o Tecmundo levantou algumas das principais características que devem ser analisadas antes da compra de um produto. A geração 2011 de aparelhos incluiu uma série de novidades, em especial no que diz respeito à integração com a internet. Vale a pena ficar ligado nas dicas a seguir.

Qualidade de imagem

Com aparelhos cada vez mais modernos e eficientes, a qualidade de imagem deixou de ser um luxo e se tornou um item obrigatório de análise antes da compra de qualquer aparelho. Se antes bastava que a imagem do televisor “pegasse bem” os principais canais, hoje a integração com mídias externas é, praticamente, um dos fatores determinantes do uso de um novo modelo.

Como as especificações técnicas de imagem são muitas, é natural que surjam diversas dúvidas na cabeça do usuário. Por isso, vale a pena observar ao menos cinco itens fundamentais para, a partir deles, reduzir o número de modelos que melhor possam se adaptar ao seu perfil e ao seu bolso.

(Fonte da imagem: LG)

Contraste

O contraste de cores de um aparelho é o que determinada o quão “vivas” as imagens de uma tela podem ser. Quanto maior for o contraste, maior será a diferença entre os tons de preto e a cor branca. O resultado de um contraste eficiente são imagens com brilho e texturas bem definidas.

Entre as telas, os modelos de Plasma são os que apresentam as melhores taxas de contraste. Por sua composição química, as telas de Plasma permitem níveis quase absolutos de preto, garantindo ao espectador imagens de alta qualidade, ainda que a um custo maior.

As telas de LCD com painel de LED são a alternativa perfeita para quem procura ótimas taxas de contraste, mas não está disposto a pagar mais por isso. Leves e, agora, populares, os modelos do gênero na atualidade estão entre as opções mais em conta do mercado, sendo a mais nova aposta da indústria.

Por fim, as telas de LCD tradicionais, ainda as mais baratas do mercado, apresentam uma grande variação entre taxas de contraste, permitindo ao usuário optar por modelos mais simples caso o foco não seja a exibição de imagens de alta resolução, como Blu-rays.

(Fonte da imagem: Sony)

Cor

Quanto maior o número de cores que um aparelho de TV produz, maior será a fidelidade de cores das imagens exibidas. O detalhe pode passar despercebido por muitos usuários, mas, muitas vezes, ele é o fator determinante para que você tenha uma imagem rica em texturas e detalhes.

Para formar uma imagem, cada pequeno pixel é composto por uma cor específica. Quanto maior for o número de cores, mas fiel será a imagem reproduzida. Sendo assim, caso você preze por qualidade de imagem, é importante ficar atento a essa característica, pois a variação é muito grande.

Nesse quesito, tanto as telas LCD com painel de LED quanto as TVs de Plasma têm desempenhos similares, oferecendo modelos de alta qualidade. Já as telas de LCD, embora mais limitadas, também podem se adaptar com facilidade ao perfil dos consumidores mais exigentes.

Upscale

Outra característica importante a ser analisada é a capacidade de upscale que um aparelho de TV pode ter. Ou seja: caso sua tela tenha resolução de 1080p, nem sempre você poderá desfrutar do máximo de qualidade de imagem. Filmes em DVD, por exemplo, têm como fonte uma matriz em 720p.

Numa tela com resolução de 1080p, é bem provável que algumas falhas decorrentes da diferença de qualidade possam se tornar mais perceptíveis. Contudo, os aparelhos equipados com função de upscale são capazes de corrigir eventuais defeitos, tornando o resultado final muito mais aprazível para o espectador.

Novidades da geração

(Fonte da imagem: LG)

Conexão com a internet

Foi-se o tempo em que o acesso à internet era exclusividade apenas dos computadores. Embora ainda não seja fundamental, a compatibilidade dos novos aparelhos de TV com a grande rede deixou de ser um diferencial para se tornar um item de série nos modelos das linhas mais modernas.

Grande parte dos novos aparelhos conta com o recurso que permite o download de atualizações de software, acesso a redes sociais, compra online de conteúdo e acesso via controle remoto às páginas tradicionais que você está acostumado a conferir no dia a dia.

Embora no Brasil ainda existam poucos serviços e sistemas oferecendo conteúdos exclusivos, nos EUA a oferta e a demanda por produtos do gênero são crescentes e, naturalmente, o Brasil deve ganhar aos poucos novos serviços e instituir a cultura dos televisores sempre conectados.

Alguns modelos da Samsung, da LG e da Sony contam ainda com apps específicos, permitindo que o usuário acesse determinados serviços de forma personalizada e adaptada para o controle remoto. Os apps podem ser baixados gratuitamente e, embora a variedade ainda seja limitada, cada vez mais é possível ter um modelo de TV personalizado à sua maneira.

É bem verdade que os recursos não influenciam diretamente na qualidade final de imagem do aparelho, podendo ser considerados, ao menos por enquanto, detalhes secundários. Porém, estar à frente e garantir um televisor compatível com essa tecnologia pode representar muito mais comodidade para o usuário.

Suporte para 3D

Há pouco mais de um ano, comprar um aparelho de TV com suporte ao formato 3D ainda não era uma boa ideia. Os primeiros modelos que chegaram ao país não estavam na lista dos mais baratos e, ainda com qualidade experimental e conteúdo escasso, o investimento acabava não sendo justificado.

Hoje, todavia, considerar um aparelho compatível com a experiência em três dimensões na hora da compra já é uma realidade. Alguns modelos mais simples começam ser vendidos por preços mais acessíveis, muitas vezes até 50% mais baratos do que a faixa inicial de preço praticada no ano passado.

Em se tratando de conteúdo, o número de títulos em Blu-ray ainda é escasso, mas em quantidade superior ao que existia em 2010. Atualmente são cerca de uma centena de produções, entre discos nacionais e importados, compatíveis com o formato, com forte tendência de crescimento nos próximos dois anos.

Antes de comprar o produto, verifique detalhes como a quantidade de pares de óculos disponíveis junto com o aparelho e tipo de 3D utilizado. Embora mais incômodos, os modelos que requerem o uso de óculos especiais ainda resultam em qualidade de imagem superior.

Feita sob medida

(Fonte da imagem: Sony)

Não importa qual seja o avanço da tecnologia, algumas características a serem observadas permanecem inalteradas. Sem dúvida, um dos primeiros itens a serem analisados antes da compra de um novo produto é a adaptação do aparelho ao ambiente de sua casa.

Muitos consumidores optam por comprar o modelo com maior tela, não levando em consideração se há condições físicas  no local para que a máxima qualidade de imagem possa, de fato, ser aproveitada. O resultado é uma imagem que, embora tenha alta qualidade, ressalta aos olhos do espectador um grande número de falhas, devido à proximidade do aparelho.

Assim, a melhor maneira de encontrar um produto sob medida para você é ter como ponto principal em sua pesquisa não os seus desejos, mas sim as suas reais necessidades. Na maioria dos casos, telas de até 47 polegadas são capazes de se mostrar tão eficientes quanto aparelhos com mais de 60 polegadas.

Outras características como controle de reflexos e luminosidade do produto devem ser observadas em razão da sala em que o aparelho será colocado. A preparação do ambiente é capaz de potencializar a qualidade das imagens que você vê. Dessa forma, confira se não vale a pena gastar menos no aparelho e investir um pouco mais na adaptação da sua sala de estar.

Preço

(Fonte da imagem: Google TV)

Não basta ter qualidade. Um bom produto é aquele que apresenta a melhor relação custo-benefício para o consumidor.  Como a variedade de modelos é imensa, a melhor alternativa é mesmo pesquisar. Obviamente, quanto mais moderno for o aparelho, maior será o seu preço.

Contudo, é possível encontrar bons produtos em condições mais acessíveis, justamente pelo foco de vendas nas lojas ser variável. As telas de LCD, antiga prioridade nas listas de desejos, hoje já ocupam um lugar secundário no varejo. Boa parte dos modelos pode ser encontrada por valores abaixo de R$ 2 mil.

Já as telas de LCD com painel de LED, ao menos em termos comerciais, parecem ser as mais atrativas do momento, ocupando sempre um lugar de destaque nas vitrines. Os preços variam a partir de R$ 2 mil até, em média, R$ 5 mil.

As telas de Plasma, embora de ótima qualidade, não caíram no gosto das lojas e nem sempre estão entre as principais opções disponíveis. O valor dos modelos também varia, podendo chegar até R$ 10 mil, em média.

Para as opções de tela com suporte ao formato 3D os preços ainda não são muito animadores, entretanto já se mostram mais acessíveis do que à época do lançamento. Aparelhos que no início custavam até R$ 15 mil hoje já podem ser vistos nas lojas por menos de R$ 10 mil.

Cupons de desconto TecMundo: