Você se lembra da Justiça brasileira requisitando acesso às chaves de criptografia do WhatsApp? Pois algo do tipo está acontecendo com o Telegram na Rússia, terra natal do app. O órgão do governo russo acusa o aplicativo de oferecer aos terroristas “a oportunidade de criar salas de conversa secretas com um alto grau de criptografia”, assim, pede que ele libere acesso a conteúdos criptografados.

A agência de segurança russa FSB afirma que o terrorista Akbarzhon Jailov, que se explodiu em uma estação do metrô em São Petersburgo em abril e matou 15 pessoas, usou o serviçio de mensagens russo para orquestrar o ataque.  Dessa maneira, a ideia é que o Telegram coopere para que seja possível monitorar conversas na plataforma e evitar novos ataques terroristas.

Entretanto, Pavel Durov, o criador do Telegram, afirmou que é impossível quebrar a criptografia do seu aplicativo — ninguém teria as tais chaves mágicas que liberam acesso ao conteúdo protegido — e também que a prática violaria as garantias constitucionais da Rússia. Durov reiterou ainda que a prática do Telegram, de usar criptografia de ponta a ponta em sua plataforma, é comum no mundo dos apps de mensagens.

"Se você quer derrotar o terrorismo bloqueando as coisas, terá que bloquear a Internet", afirmou em entrevista à agência Reuters;

Cupons de desconto TecMundo: