Sabe quando você está sem o que fazer e fica o dia inteiro assistindo a vídeos no YouTube? Pois a sua operadora o odeia por isso — ou melhor, odeia a Google. Tanto que essas empresas querem que a gigante e outras companhias que oferecem conteúdo por streaming dividam suas receitas para melhorar a internet no Brasil.

A polêmica foi levantada durante o 56º Painel Telebrasil, evento realizado na última quinta-feira (30) em Brasília, e chamou a atenção de muita gente. De acordo com representantes da TIM, Claro e Vivo, esse tipo de tecnologia online cresceu muito nos últimos anos e fez com que as redes ficassem tão congestionadas.

Desse modo, segundo eles, seria justo que as companhias que oferecem esse tipo de material ajudassem a financiar a melhora, afinal, “a culpa é delas”. Para se ter uma ideia do que o streaming representa nas redes móveis do Brasil, 65% dos tráfegos de dados no país são referentes a vídeos.

É claro que a ideia não foi bem aceita, principalmente por quem oferece o conteúdo. Ainda no evento, o diretor-executivo da Netflix, Reed Hastings, afirmou que o que deveria acontecer, na verdade, era o oposto. Para ele, as operadoras é que deveriam pagar para essas empresas, já que são essas que trazem os assinantes.

Fonte: Olhar Digital, Tecnoblog, Convergência Digital

Cupons de desconto TecMundo: