A empresa Plastic Logic parece que está mesmo liderando o mundo para uma nova era de telas flexíveis. Sua última criação foi produzida inteiramente por transistores orgânicos e pode ser usada confortavelmente envolta do seu pulso.

A tela flexível possui, por enquanto, 256 níveis de cinza e consegue exibir imagens a 30 quadros por segundo. Ao que tudo indica, esses transistores orgânicos parecem ser a melhor chance para os desenvolvedores criarem o esperado tablet que pode ser dobrado ou enrolado no seu bolso.

De acordo com a Plastic Logic, esta nova tela é destinada para o uso em utilizáveis (wearables) no futuro próximo. Uma das suas vantagens é ser flexível a ponto de poder se conformar às curvas irregulares dos corpos humanos, como telas que envolvem todo o pulso, jóias inteligentes e, por que não, acessórios de todo tipo.

Como essas telas funcionam

Ao contrário do silício, plásticos são isolantes elétricos. Por muito tempo se imaginou que o seu uso com circuitos eletrônicos seria muito limitado. Apesar disso, em anos recentes alguns químicos conseguiram mudar a composição de alguns plásticos para fazê-los se comportar como materiais condutores e semicondutores.

Dessa maneira, isso permitiria que circuitos fossem construídos em superfícies resistentes, porém flexíveis, propriedades que não funcionam com o silício. Esta descoberta tem levado à construção destas novas telas OLED e outros tipos de produtos inovadores. No fim, plástico é muito mais barato do que silício, e com as propriedades certas é ainda mais fácil de produzir circuitos para este material.

Cupons de desconto TecMundo: