A organização da Fórmula 1 introduziu uma novidade no treino da mais recente corrida do calendário. É o "safety car virtual", que está em fase de testes e pretende substituir o carro de referência quando acontece um acidente.

Essa é a resposta da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para o terrível acidente envolvendo Jules Bianchi no circuito de Suzuka, Japão. Na ocasião, o francês bateu no carro que recolhia o veículo de Adrian Sutil, que se acidentara anteriormente. Bianchi segue em condições críticas.

Com o safety car virtual, os pilotos recebem instruções em seu volante (que também tem uma tela) para diminuir a velocidade. Eles são obrigados a fazer um tempo 35% maior que uma volta típica com clima seco. Quem correr demais é penalizado em 10 segundos.

"É bem ardiloso", definiu Jenson Button sobre o novo método. "Com esse sistema, você sempre tem que estar positivo [no tempo de volta]. Você quer estar o mais próximo possível de zero, pois você pode perder dois segundos para o cara da frente. Se você ficar abaixo, perde 10 segundos quando a corrida recomeçar, então, é muito, muito ardiloso". Outros pilotos consideraram difícil seguir os tempos mostrados no painel.

Por enquanto, ainda não há uma previsão de quando o safety car virtual será usando para valer.

Cupons de desconto TecMundo: