O Gyroptère era uma aeronave que usava apenas uma hélice rotativa. Em português, o seu nome girocóptero é por vezes aplicado em aeronaves que giram em torno do seu centro de massa enquanto voam.

Atualmente, é comum encontrar aeronaves desse tipo, mas há 100 anos elas eram algo que chamavam a atenção, sobretudo o Gyroptère, que possuía um visual futurista para a época.

O seu design lembra um pouco o B-Wing. (Também chamado de monocopter em inglês), ele consegue ser ainda mais estranho do que o caça de Star Wars. A aeronave também tinha uma espécie de lâmina longa é usada para levantar voo. É um pouco difícil imaginar isso, até ver esse vídeo.

Ao contrário deste pequeno modelo de controle remoto apresentado, no entanto, o Gyroptère original nunca chegou a voar. Teoricamente, ele até poderia, mas em 1913, quando foi inventado por Alphonse Papin e Didier Rouilly, os meios técnicos para obter a velocidade de rotação necessária para voar ainda não estavam disponíveis.

O original

O Gyroptère pesava 500 kg, incluindo uma boia na qual foi montado. Ele tinha uma lâmina oca, com uma área de 12 metros quadrados e com uma hélice motorizada de 80 cavalos, girando a 1.200 rpm.

O controle de direção era obtido por meio de um pequeno tubo auxiliar, através do qual uma parte do ar era expelido, e permitia que o piloto guiasse para qualquer lugar. A posição do piloto era localizada no centro de gravidade do Gyroptère, entre a lâmina e a hélice.

O teste foi adiado devido à eclosão da Primeira Guerra Mundial, sendo realizado apenas em 31 de março de 1915, no Lago de Cercey, na Costa do Marfim. Infelizmente, durante os testes, a embarcação / aeronave não atingiu a velocidade necessária para voar, se tornou instável e o piloto teve que abandoná-las, sendo que ela afundou logo depois.

Cupons de desconto TecMundo: