Quando se fala em fazendas, a primeira imagem que surge na cabeça da maioria das pessoas deve ser a de grandes espaços a céu aberto, afastados dos grandes centros e com fileiras e mais fileiras de algum tipo de cultura. Mas, com cada vez mais pessoas vivendo em cidades, a agricultura também está mudando, e existem projetos por todo o mundo que pretendem integrá-la aos espaços urbanos.

A ideia é fazer com que a produção de vegetais seja mais eficiente, mais rápida, menos dispendiosa e ocupe menos espaço. Na relação abaixo, você encontrará seis exemplos que já estão fazendo ou estão em vias de tornar isso uma realidade.

1. Fazenda Indoor em Miygi Fukko Park – Tagajo, Japão

No Japão, uma fazenda indoor é cultivada hoje onde um dia já foi uma fábrica de semicondutores da Sony Corporation. O projeto é uma parceria entre o Mirai Group, liderado pelo fisiologista de plantas Shigeharu Shimamura, e a GE Japan.

Quando iniciou as atividades, em 2013, essa era a maior fazenda indoor do mundo, capaz de produzir 10 mil pés de alface por dia. A instalação cobre uma área de 2,3 mil metros quadrados e utiliza 17,5 mil lâmpadas de LED desenvolvidas especificamente pela GE para emitir luz em uma frequência de onda otimizada para o crescimento das plantas.

Além de conservar água e eletricidade, o controle preciso dessas lâmpadas faz com que vegetais de melhor qualidade cresçam mais rápido. Projetos similares estão sendo iniciados pela mesma equipe em Hong Kong e no leste da Rússia.

2. Arranha-céu estufa gigante da Plantagon – Estocolmo, Suécia

Há alguns anos, a companhia sueco-americana Plantagon revelou planos para construir em diversas cidades do mundo uma série de enormes edifícios-estufa que transformariam a forma como a agricultura urbana é feita.

Em 2012, o projeto “Plantscraper” (Arranha-Planta, em tradução livre) foi iniciado em Estocolmo, e a empresa anunciou que, após a fase de elaboração, as obras demorariam entre 12 e 16 meses para serem concluídas.

O design original para a construção seria a de um domo geodésico, mas se optou por um formato de torre mais tradicional, onde poderiam funcionar também laboratórios onde os cientistas do projeto pudessem testar novas tecnologias focadas no desenvolvimento da agricultura urbana. Esse projeto, assim como outros semelhantes na Ásia e na América do Norte, ainda está em desenvolvimento.

3. Maior fazenda vertical do mundo – Nova Jersey, Estados Unidos

A companhia AeroFarm está trabalhando em um projeto de US$ 30 milhões (cerca de R$ 112,6 milhões) para construir a maior fazenda vertical indoor do mundo em Newark, no estado americano de Nova Jersey.

A instalação de 6,4 mil metros quadrados está programada para entrar em atividade agora no final do ano e também servirá como nova sede global da empresa de agricultura urbana. São empregadas lâmpadas de LED e técnicas de aeroponia nas mudas cultivadas lá.

Utilizar um espaço vertical para o cultivo de alimentos ocupa menos espaço e permite também a utilização de menos energia elétrica, resultando em um impacto muito menor ao meio ambiente.

4. Fazenda Arranha-Céu Cairn Asiático – Shenzhen, China

A Fazenda Arranha-Céu Cairn Asiático é uma mistura de área residencial, escritórios, comércio, lazer e produção de alimentos. O arquiteto francês Viincent Callebaut se inspirou na forma de cairns  – amontoados de pedras que servem para marcar um ponto de referência em uma paisagem – na hora de projetar as torres.

Fontes de energia renovável, agricultura sustentável e reciclagem da água da chuva são combinadas para prover uma vida saudável em um ambiente urbano densamente povoado e que continua a crescer em ritmo acelerado.

5. Projeto Crescendo no Subterrâneo – Londres, Inglaterra

A primeira fazenda de alta tecnologia de Londres fica 30 metros abaixo da superfície, em um túnel cavado na época da Segunda Guerra Mundial sob o bairro de Clapham. Os equipamentos para cultivo hidropônico e controle climático foram custeados graças a uma campanha em um site de financiamento coletivo.

A fazenda é financiada por dois empresários e por um chef de cozinha premiado, e no verão deste ano os agricultores concluíram a “fase um” do projeto Growing Underground – Crescendo no Subterrâneo, em tradução livre –, colhendo as primeiras mudas de brotos de ervilha, rabanetes e aipo destinadas à comercialização para clientes na capital inglesa.

Outros túneis já estão sendo adaptados às necessidades de cultivo, e, quando todos os equipamentos estiverem instalados, a fazenda cobrirá uma área de 2,5 acres sob Londres e produzirá vegetais e folhas frescas para restaurantes e supermercados locais.

6. Fazenda Aérea Urbana – Seul, Coreia do Sul

O Estúdio de Design Aprilli desenvolveu esse conceito de uma fazenda urbana de larga escala no intuito de resolver dois problemas de uma só vez: produzir comida e gerar energia renovável para a cidade. A torre é composta por centenas de decks para cultivo feitos de um material ultraleve e foi projetada para ser autossuficiente.

Ela utilizará 4 mil metros quadrados de painéis solares e turbinas eólicas para gerar a energia necessária para que toda a estrutura funcione, além de uma estação de tratamento de água localizada nos andares mais baixos da instalação.

No total, a fazenda aérea contará com 140 mil metros quadrados de jardins, orquidários e áreas de cultivo de mudas, todas elas conectadas por passarelas e pontes suspensas por onde turistas e moradores da cidade poderão transitar livremente.

Você acredita que cultivar alimentos em espaços urbanos supra a necessidade de comida da população que vive nesses espaços? Comente no Fórum do TecMundo