Alguns pesquisadores da Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido, criaram um projeto muito interessante que visa melhorar a qualidade de vida de seus usuários. O edifício InterHome foi pensado para aprender os hábitos dos moradores e criar rotinas de economia de energia.

Para isso são utilizados sensores que desligam a energia nos períodos em que a demanda não existe (quando a casa está vazia, por exemplo). Além da energia economizada, os sensores também são uma central de segurança que identifica quando há pessoas estranhas na casa e envia SMSs para os celulares dos proprietários, que optam por chamar ou não a polícia.

Um dos criadores ao lado da maquete

Fonte da imagem: Universidade de Hertfordshire

Também começaram a ser implementadas funcionalidades referentes à saúde, o que inclui a instalação de sensores para captar sinais vitais dos moradores. Especialmente criado para idosos, esta parte do projeto identifica os batimentos cardíacos e outros sinais e, em caso de alterações graves, são emitidos avisos para parentes ou centrais médicas.

Ainda não existem casas reais com a InterHome instalada, pois os criadores agora aguardam por investidores que desejem instalar o projeto em residências. Por enquanto, apenas parques de inovação possuem contratos firmados com a equipe britânica.