Na tentativa de acabar com o caos do trânsito em grandes centros urbanos, o resultado de um concurso promovido pela Fundação James Dyson, na França, apresentou um novo conceito de carro que une as melhores características dos transportes público e pessoal em um único veículo.

O projeto, batizado de “Tube” (ou “Tubo”), utiliza estruturas em forma de disco que funcionam como uma espécie de monociclo. Com capacidade de transportar até duas pessoas, o veículo facilitaria a locomoção pelas ruas das cidades por ocupar pouco espaço, o que diminuiria o congestionamento.

Porém, o grande destaque do conceito está na combinação de vários discos em determinadas estações. Com o auxílio de bases especiais, os monociclos seriam unidos e formariam um trem tubular que viajaria a uma velocidade média de 160 quilômetros por hora em uma via dedicada somente para esse novo veículo, a nove metros de altura do chão. Isso tornaria a locomoção urbana muito mais ágil e diminuiria consideravelmente a quantidade de automóveis nas ruas.

Trem tubular

Divulgação/James Dyson Award

Além disso, as estações seriam estrategicamente colocadas em parques e áreas verdes dos municípios, exatamente para estimular a consciência ambiental dos usuários. Ao chegar ao local de desembarque, a pessoa pode simplesmente desacoplar seu disco da estrutura central e locomover-se livremente.

Divulgação/James Dyson Award

A grande aposta do projeto não está apenas na diminuição dos problemas de trânsito nas grandes cidades, mas também na questão ecológica com que isso está relacionado. Por conta desse ponto, o Tube utilizaria um motor elétrico para se locomover e manteria armazenados os equipamentos que não estão em uso em áreas periféricas.

A utilização desse tipo de energia visa acabar com a emissão de poluentes, além de tornar as cidades menos barulhentas devido à diminuição da quantidade de motores de explosão em circulação.

Carro em forma de disco

Divulgação/James Dyson Award

Agindo no bolso

A utilização dos carros-discos seria feita exclusivamente por meio de locação, o que impossibilitaria a compra para uso pessoal. Próximo a cada parada do trem tubular, haveria uma grande base vertical em que os veículos estariam “estacionados”. Dessa forma eles não ocupariam espaço e o armazenamento de vários equipamentos seria facilitado.

Estrutura coletiva

Divulgação/James Dyson Award

Além da locação, o usuário também poderia optar um sistema de assinaturas, o que daria liberdade para utilizar os discos sempre que desejasse. A proposta, segundo os desenvolvedores do projeto, é promover o desenvolvimento econômico da população livrando-a de gastos com veículos, como seguro e manutenção.