A companhia aeroespacial EADS revelou no Paris Air Show o conceito de um novo veículo que tenta atingir a máxima da sustentabilidade, sem deixar para trás as preocupações com a potência. O novo investimento da empresa é o jato Zehst, sigla para Zero Emission Hypersonic Transportation (transporte hipersônico de emissão zero, em tradução livre), que pode atingir a velocidade de 4.800 km/h sem prejudicar o meio ambiente.

A sustentabilidade é resultado do biocombustível que impulsiona o avião, feito a partir de algas marinhas. Após a estabilização do jato no ar, são utilizados foguetes com motores movidos a oxigênio e hidrogênio, mantendo a nave na impressionante altitude de 32 km, mais que o dobro da distância convencional para veículos tripulados. A substância emitida na atmosfera é uma inofensiva água em forma de vapor.

A capacidade do jato, que possui um design inspirado no avião britânico Concorde, deve variar entre 50 e 100 passageiros. As maravilhas do Zehst, entretanto, devem demorar a chegar ao público. A EADS promete um protótipo apenas para 2020, enquanto a circulação normal do superavião deve acontecer apenas em 2050.