Quando o assunto é carro autônomo, há muitos nomes, marcas e empresas que vêm à cabeça, com dezenas de notícias, promessas e discursos cujas demonstrações veremos no futuro. O Arma, da Navya, pode não ser a primeira coisa que você pensa quando se fala desse tipo de pauta, mas ele tem um diferencial: funciona e já pode ser visto na prática na CES.

Apesar de ter sido demonstrado em Sion, na Suíça, em 2015, é interessante ver que o automóvel inteligente já está funcionando de maneira bem satisfatória no evento que acontece em Las Vegas. O veículo mais parece uma sala de espera que se movimenta sozinha, mas que é fácil de usar e muito eficaz pelo que foi mostrado até o momento.

Mesmo aparentando ser simples e pouco sofisticado, existem uma tonelada de tecnologias por trás do Arma. Há sensores ópticos de luz, câmeras e sensores de odometria, que mudam o curso do veículo de acordo com o feedback de movimento que ele recebe do ambiente ao seu redor. Teoricamente, ele já pode fazer isso em ruas e estradas, mas nenhum teste exaustivo foi realizado.

O Navya Arma é meio feio e lento, mas tem muita tecnologia por trás para torná-lo eficiente

Durante a CES, o carro funcionou da forma esperada, saindo de um estacionamento, dirigindo pelas ruas do local e desviando de obstáculos fictícios, que eram representados por cones. O automóvel até mesmo parou para evitar um acidente com um pedestre que passava na rua, tudo o que é esperado de um sistema autônomo. Contudo, na primeira vez que o automóvel é utilizado em uma rota nova, um engenheiro deve guiá-lo pelo percurso.

O Arma conta com uma bateria de LiFePO4 de 33-kWh que pode ter até 9 horas de autonomia e pode ser recarregada de 4 a 8 horas, dependendo do método de recarga, que pode ser sem fio ou com fio. A velocidade máxima dele não é uma maravilha (apenas 45 km/h) e a velocidade média muito menos (25 Km/h), mas ele realiza o serviço sem problemas.

Cupons de desconto TecMundo: