Segundo apurou a publicação Autocar, a alemã Audi poderia criar um carro movido a hidrogênio para disputar as 24 Horas de Le Mans com a tecnologia que tem disponível hoje. A confirmação veio por parte do diretor de desenvolvimento tecnológico da montadora, Stefan Knirsch.

Contudo, ele explicou que a Audi não pretende fazer isso no momento, nem tem planos concretos para tal, uma vez que seria necessário esperar a indústria automobilística comercial acompanhar essa novidade mais de perto.

“Se nós quiséssemos demonstrar nossa capacidade dessa forma, nós poderíamos, mas a primeira coisa a se fazer é ter certeza de isso tem um futuro na linha de montagem comercial. Não gostamos de mostrar coisas que não levam a uma realidade de produção, e nesse momento a falta de infraestrutura (postos de abastecimento) leva a incertezas”, disse Knirsch.

Não gostamos de mostrar coisas que não levam a uma realidade de produção

Além da Audi, a BWM também estaria pensando em avançar na tecnologia baseada em hidrogênio. Com isso, a corrida seria uma boa forma de colocar uma das duas à frente desse segmento, que ainda é muito embrionário.

Colocar um carro movido a hidrogênio para completar as 24 Horas de Le Mans seria como fazer um anúncio de milhões de dólares no mundo todo sobre as potencialidades da fabricante. Mas Knirsch acha que, se isso for feito cedo demais, pode fazer a Audi perder uma grande oportunidade.

Indústria tem que acompanhar

Dentro do Grupo VW, a Audi é a líder em desenvolvimento de células de combustível em hidrogênio. A marca tem trabalhado no assunto desde 2003 e já inclusive produziu um protótipo de um Audi A2 e um SUV chamada H-tron nesse projeto. “Nós estamos produzindo tecnologia de célula de combustível a hidrogênio em um nível muito avançado, mas o mercado precisa decidir quando vamos lançar isso”, disse Knirsch ao Autocar. “Nós estamos prontos, mas ainda não há infraestrutura para isso…”, completou.

Cupons de desconto TecMundo: