Depois de voltar da Computex, evento que acontece todos os anos em Taipei, o pessoal da TecLab tem o prazer de nos revelar que foram os únicos a quebrar um recorde mundial no evento.

Quando nos visitaram, eles prometeram que iam levar o Brasil para o posto mais alto do overclocking 3D e, de fato, não era apenas falatório. Ronaldo “rbuass” Buassali e Jacson “bros” Schenckel alcançaram a marca mais alta do 3D Mark Fire Strike Extreme.

Com o apoio da Corsair, Galax e Terabyte, eles alcançaram clocks muito elevados, marcando 2.058 MHz para o chip gráfico e 2.038 MHz para a memória de vídeo, o que resultou nos altos resultados do teste em questão.

Na ocasião, Ronaldo Buassali deu o seguinte depoimento:

“Foi solicitado a nós que removêssemos as placas de alimentação externa – as Power Boards – e trocássemos pelas Galax Hof Power Board para que buscássemos o recorde da edição Ultra. Atualmente, a competição está acirrada entre as empresas Galax e EVGA, com o reconhecido overclocker Kingpin”, comentando sobre o principal concorrente em benchmarks.

“Somente pudemos trabalhar no último dia – 5 de junho –, pois houve problemas com insuficiência de energia elétrica. Quando finalmente conseguimos, faltava pouco mais de uma hora para mudar o foco para o segundo interesse, o Fire Strike Extreme. Conseguimos ficar em terceiro lugar no mundo, na frente do próprio Kingpin, mas, chegando ao Brasil, vamos lutar com mais liberdade na busca desse Recorde”, finalizou Ronaldo “rbuass” Buassali.

Como foi essa quebra de recorde?

Basicamente, eles pegaram duas placas de vídeo caríssimas (GeForce GTX Titan X) e as modificaram completamente, em um verdadeiro processo de transformação, ainda acrescido de um procedimento chamado por eles de “zumbificação” (remoção do sistema de alimentação original da placa e troca por um de muito maior capacidade).

Em todo o mundo, são raríssimos os overclockers que detém o conhecimento em placas deste porte, o que encaixa a situação atual no comentário feito por Buassali.

“Estamos em um momento especial onde não basta comprar uma placa prontinha. Da mesma forma que ocorreu quando foi lançada a primeira GTX Titan, não basta somente “benchear”, mas saber entender a placa e realizar as modificações necessárias para vencer, pois hoje, a placa necessária para recordes não possui modelos preparados de fábrica, como as HOF, Matrix, Kingpin e outros modelos que facilitam tanto a vida dos overclockers, principalmente dos que têm condições para escolher os melhores exemplares”.

É importante saber também que diferente de outros overclockers que possuem placas à vontade e as têm preparadas por outros, a equipe do TecLab faz suas própria placas e modificações. Nem a própria Galax entendeu como e porque eles fizeram na sua HOF Powerboard, um sistema “TecLab” de controle de tensões da GPU.

“Pedimos a eles a ficha de dados (datasheet) da controladora PWM, de forma que não ficamos dependentes de software para trabalhar. Não souberam responder e achamos por nós mesmos este modo. Foi bem parecido quando criamos a primeira GTX 780Ti Zombie do mundo, testamos e comparamos todas as resistências próximas ao controlador, e após concluído o processo, realizamos as modificações e cobrimos nossa “patente” com fita isolante líquida”.

A volta com tudo

Havia tempo que Ronaldo não dedicava as postagens 3D para a Liga Mundial, sendo as suas últimas postagens, os resultados que o classificaram para o Master Overclocking Arena 2014, ainda que ele não tenha podido viajar para a final.

Muita coisa rolou daqueles dias para cá, desde que a equipe se dedicou para a montagem do TecLab, laboratório especializado em Hardware e Overclocking e a volta triunfal deles foi anunciada na Liga na última Computex. A equipe conta hoje com os seguintes resultados:

  • #1 3DMark Fire Strike Ultra
  • #1 3Dmark Fire Strike Extreme
  • #3 3DMark Fire Strike
  • #2 3DMark 11

Sobre a equipe e a Liga Mundial HWBOT

Perguntado sobre os planos relacionados à Liga Mundial e seu ranking, RBuass já havia esclarecido que o interesse do TecLab é apenas os Recordes 3D mais complexos.

“Algumas coisas na Liga Mundial estão sendo reformuladas em um sentido muito positivo. A Liga de Overclocking no padrão do e-sports, por exemplo, deve trazer um novo vigor ao Hwbot. Porém, ao nosso ver, muita coisa ainda deve ser modificada", relata Buassali.

“Não são mais interessante testes antigos de processamento, a maioria ainda utilizada em Windows XP, que valem na liga tanto quanto benchmarks muito mais difíceis e elaborados, simplesmente pela facilidade de participação e imensa quantidade de postagens. Isso “desequilibra” o ranking, que para nós deveria ser separado em 2D e 3D, e também “Legacy” (benchmarks 3D antigos).”

“Overclockers como Shamino, Mad222 e Kingpin, entre outros que consideramos, da mesma forma mantém essa “linha”, e assim como nós, não correm mais testes como Wprime, CPUZ, Pifast e mesmo os 3DMark antigos como o 01, 03, 05 e 06. Não que nós não gostemos, mas é algo que ficou no passado e deve ser considerado apenas para competições tipo ’Old School’.”

Os próximos planos

“Infelizmente, tudo isso que fizemos foi com apenas uma placa de vídeo. Devido ao alto custo da GTX Titan X, nossa possibilidade estava apenas em nossas duas placas (Single e SLI – uma e duas placas de vídeo). Porém, uma delas sofreu danos severos e “matou” nossa chance de vitórias em SLI (duas placas). Seu chip simplesmente “rachou” durante um dos testes, tamanha a agressividade das condições enfrentadas. Como nosso suporte é muito limitado, teremos que esperar para ter condições para mais uma unidade e dar continuidade ao nosso trabalho”.

“Mas ainda temos uma de nossas monstruosidades e nos próximos dias deveremos atacar outros testes, para conquistar a edição do Fire Strike que está faltando, o 3Dmark11 e também outro benchmark que consideramos excelente que é o Unigine Heaven Extreme, para quando conseguirmos outra unidade, partir para SLI”.

“Para quem pensa que é fácil, ou que temos suporte, fica a observação que o mais difícil e disputado é o Single Card (apenas uma placa de vídeo), pois você precisa atingir a frequência mais alta possível dentro de um padrão de estabilidade. O SLI deve ser mais fácil, e o 4 Way SLI, que é igualmente um desejo que temos, impraticável no Brasil, não só pelo altíssimo preço dessas placas, mas pela Titan X ser uma voraz consumidora de nitrogênio líquido, algo que em países como Taiwan e Estados Unidos é tão barato, mas que no Brasil tem um custo altíssimo”, finaliza Buassali.

Fica aqui nossos parabéns ao TecLab e alertamos aos interessados para que fiquem atentos, pois a equipe de Buassali promete mais recordes em breve. Se você deseja acompanhar as atividades do Teclab, participe do canal no YouTube e também do grupo Extreme PCs & Overclocking no Facebook.

...

A equipe TecLab agradece ao apoio da Corsair e da Galax pela qualidade dos equipamentos fornecidos e à Terabyte pelo fornecimento das placas.

Cupons de desconto TecMundo: