Com pouco mais de um ano de mercado, a GTX 970 começou 2016 com o pé direito, mostrando que ainda não sente os efeitos do tempo.

Recentemente, a placa da NVIDIA alcançou o status de mais utilizada da Steam, finalmente deixando para trás a Intel HD 4000 e dobrando qualquer concorrente da AMD.

Entre muitas qualidades, este sucesso da GTX 970 se deve principalmente a três fatores: eficiência energética, bom desempenho e preço, características que são capazes de tornar qualquer componente um best-seller.

Portanto, não há momento melhor para testarmos esta placa e verificarmos o porquê de tantos usuários se renderem e escolherem a mid-range da Nvidia. Desta forma, hoje analisaremos uma versão recente da GALAX que tem tudo para bombar em 2016.

Depois de avaliarmos suas excelentes versões EXOC da GTX 950 e GTX 960, chegou a hora de testarmos a GTX 970 Black EXOC Sniper Edition 4GB, a aposta da GALAX para o um dos mais competitivos segmentos do mercado atual.

Visão Geral – o que significa ser uma EXOC Sniper Edition

A começar pela sua visão geral, logo de início já podemos perceber que esta placa não se parece em nada com o design de referência. Com PCB personalizado da GALAX, cooler com duas ventoinhas e  overclocking de fábrica, temos aqui os ingredientes necessários de uma verdadeira EXOC (Extreme Overclocked). Esses ingredientes permitem à GPU desta placa trabalhar cerca de 150 MHz acima do modelo de referência em boost e, desta forma, chegar a outro patamar de desempenho.

Por se tratar de uma versão "Black", ela é bastante discreta e é inteira feita na cor preta, o que lhe garante boa compatibilidade estética com qualquer configuração. Falando sobre o cooler, há aqui duas ventoinhas de 90 mm que operam de forma bastante eficiente.

Contando com tecnologias de redução de ruído e otimização de operação, este modelo somente terá suas ventoinhas ligadas caso a GPU atinja uma determinada temperatura ou caso o usuário exija dela rodar algum game, gerando desta forma algum ruído só quando realmente for necessário.

Ainda sobre as ventoinhas, vale mencionar que elas possuem LED vermelho e operam de forma silenciosa mesmo em 100% de sua velocidade, atingindo cerca de 3.000 RPM (rotações por minuto), mantendo a placa fria e muito silenciosa. O cooler cobre toda a PCB e é construído inteiramente em material metálico, dando solidez e estrutura para a placa.

Na parte traseira, podemos ver o backplate na cor preta, componente que garante não só um excelente acabamento para a placa, mas também contribui em sua estrutura e refrigeração. Aqui, ainda temos os conectores para SLI, desta forma tornando possível que até três destas placas sejam ligadas em paralelo.

Na lateral, o destaque fica por conta dos heatpipes (são quatro) aparentes e do painel de LED que acende a logo "GTX GeForce" na cor branca quando a placa está ligada. Ela vem com dois conectores de alimentação (6 e 8 pinos), caracterizando um consumo baixo.

O painel traseiro apresenta duas saídas DVI, sendo uma delas DVI-I e outra DVI-D, uma HDMI 2.0 e, por último, uma Display Port 1.2. Desta forma, é possível que sejam ligadas até três telas simultâneas sem a necessidade de nenhum HUB ou adaptador.

Por dentro da EXOC Sniper - PCB, Cooler e VRM

Partindo agora para uma análise mais técnica, desmontamos a Galax GTX 970 EXOC Black e abordaremos os detalhes de construção de seu cooler e sua PCB. Produzida através do processo de fabricação em 28nm da TSMC, na região central da placa temos a GPU GM204. Esse é o mesmo chip utilizado na GTX 980, porém com apenas 1.664 processadores de fluxo ativos no die de 398mm², que conta com cerca de 5,2 bilhões de transistores.

Esta placa, diferentemente das outras EXOC que testamos e que utilizavam memória Samsung, possui 4 GB de memória GDDR5 divididos entre 8 chips ELPIDA com 512MB de capacidade cada um. Esses chips de modelo EDW4032BABG 70-F, especificados para trabalhar a 7GB/s (7GHz)  e 1,65v, garantem um espaço razoável para overclocking.

Apesar de possuir interface de apenas 256 bits, esta placa, assim como toda a série GTX 900, ainda conta com a terceira geração da tecnologia Delta Color Compression (DCC), desta forma aumentando em cerca de 30% o rendimento das memórias.

O comprimento do produto é de cerca de 28cm, tamanho maior que o do design de referência, porém sem exagerar nas medidas, mantendo compatibilidade com quase todos os gabinetes ATX existentes. Além disto, diferentemente das outras placas EXOC que testamos(960 e 950), esta traz apenas uma BIOS de fábrica (ainda que tenha dois switches), se mantendo no padrão da placa de referência.

Outra característica importante é o VRM de 5+2 fases, superior ao de referência (3+1), o que garante bastante espaço para overclocking. Um VRM com folga significa um boost mais agressivo, fazendo com que a placa trabalhe em um clock médio mais alto, como verificaremos em nossos testes.

Além disto, apenas o VRM recebe refrigeração ativa, de modo que as memórias operam de forma passiva e não fazem contato com o cooler da GPU. O cooler possui base em cobre e uma boa qualidade de construção, garantindo baixas temperaturas para a GPU desta placa.

Nossos testes

Para nossos testes com a Galax GTX 970 Black EXOC Sniper Edition, utilizamos nossa máquina baseada no processador Intel Core I7 6700K, instalado na novíssima plataforma Z170 (Gigabyte Z170X-SOC Force).

Hardware

  • Processador: Intel Core i7-6700K @ 4,5GHz
  • Placa-mãe: Gigabyte Z170X-SOC Force
  • Refrigeração CPU:  Corsair H80i GT
  • Memórias:  4 x 4 GB DDR4 Corsair Dominator Platinum 3.333 MHz
  • Fonte: Corsair AX1500i
  • SSD: Corsair Force GS 360GB

Software

  • Driver AMD: Catalyst 15.7.1
  • Driver Nvidia: Nvidia Forceware 355.65
  • Microsoft Windows 10

 Metodologia

  • Mesmo computador para todas as placas
  • Média aritmética de no mínimo três resultados para cada benchmark
  • Todos os aplicativos que podem influenciar resultados foram desabilitados
  • Os estados de energia estavam no padrão de desempenho máximo
  • Todas as corridas foram realizadas após reinicialização
  • Temperatura ambiente, sempre entre 25 ºC ± 2 ºC
  • Em testes de jogos, utilizamos dos mesmos cenários
  • Monitores, resoluções, filtros, texturas idênticos
  • Drivers em padrão de fábrica (último disponibilizado, se possível WHQL) Nvidia 355.65 Beta e AMD 15.7.1 WHQL

Informações extras

Para medição do consumo real, o TecLab utiliza metodologia própria e comprovada, calculando o consumo da placa independente do computador. São medidas com dispositivos preparados pela equipe as correntes e tensões das linhas de 12,0 e 3,3 Volts provenientes do PCI-e, bem como o consumo principal da linha de 12V pelo conector da fonte. Desta forma, obtemos com alta precisão a potência requerida tanto em Idle quanto em Full Load.

Para os testes de temperatura e consumo, foi utilizado o software Furmark na resolução 1920x1080, pelo tempo de 300 segundos em todas as placas.

Benchmarks - Testes em jogos - 1080p

Começamos nossos testes no que provavelmente ainda é o cenário mais comum nos dias de hoje. Na resolução de 1920x1080, testamos os principais jogos da atualidade, já incluindo o primeiro game em DX12, Ashes of Singularity, ainda em Early Access.

3DMark - Testes de desempenho sintético e overclocking

Durante nossos testes, notamos que esta placa roda praticamente todo o tempo em cerca de 1405MHz, ou seja, aproximadamente 230MHz acima do clock boost médio da placa de referência. Apesar disto, ela ainda possui bastante room para overclocking, especialmente em suas memórias, nas quais chegamos à marca de 8612MHz efetivos.

Desta forma, com pouco acréscimo de tensão atingimos a frequência de 1579/2153MHz. Isso que se traduziu em um ganho de desempenho da ordem de 17% em 1080P, ultrapassando o desempenho de uma GTX 980 de referência e encostando na GTX 980 HOF Teclab, uma das mais fortes GTX 980 disponíveis hoje.

Consumo energético

Para seu teste de consumo energético utilizamos como de costume o software furmark em conjunto com nosso método exclusivo de medição, que permite uma aferição exata do consumo da placa. Os resultados a seguir não possuem influência do restante do sistema, mostrando apenas o consumo das placas de vídeo.

Consumindo cerca de 187 Watts em load, qualquer fonte com potência real na faixa dos 500 W e com os dois cabos PCI-E já é suficiente para esta placa de vídeo. Nesta parte, podemos destacar sua excepcional eficiência energética até mesmo frente a placas mais simples, como a GTX 950 e GTX 960. Desta forma, ela consegue entregar cerca de 56% a mais de desempenho que a GTX 960 com um acréscimo de apenas 24% em seu consumo! Realmente sensacional.

Testes de temperatura

No teste de temperatura, utilizamos o software furmark rodando na resolução 1920x1080 e durante 300 segundos. Permanecendo com uma de suas ventoinhas totalmente parada até que houvesse carga em sua GPU, seu cooler trabalhou de forma muito eficiente, mantendo a placa fria e silenciosa durante todo o tempo. Na imagem abaixo, podemos verificar seu comportamento tanto em Idle como em Load, representados respectivamente na parte superior e inferior da imagem.

Operando desta maneira, a Galax GTX 970 Black EXOC Sniper funciona de forma ideal, gerando ruído apenas quando realmente é preciso. Este tipo de operação também diminui a manutenção (limpeza) necessária na placa, pois ela acaba sujando muito menos.

Conclusão

Começando pelo desempenho, para uma placa mid-range, sem dúvidas a GTX 970 não faz feio. Custando pouco mais da metade de uma GTX 980Ti, ela consegue entregar uma performance estonteante em 1080p e atingir mais de 60 fps em praticamente todos os jogos testados. Desta forma, seu desempenho em Full HD superou na maioria dos casos sua rival AMD R9 390X.

Apesar de possuir apenas 4 GB de memória, ela também não faz feio em 4K e obteve uma boa média de desempenho. Nesta situação ficou claro onde a (mais cara) R9 390X levaria vantagem pelos seus 8 GB de memória, porém, ainda assim, a GTX 970 obteve uma boa média de desempenho pelo seu preço.

Este modelo da Galax roda muito mais forte que o design de referência e representa uma excelente opção de compra para quem busca uma GTX 970 customizada. Contando com um excelente overclocking de fábrica e capacidade para ir ainda além, o design custom da GALAX atingiu todas as expectativas que tínhamos sob um modelo EXOC, sempre nos surpreendendo pelo poder de overclocking, baixa temperatura de operação e pouco ruído sonoro gerado.

Operando sempre fria e silenciosa, a GTX 970 Black Exoc Sniper Edition sem dúvidas consegue garantir uma boa experiência de uso para quem escolher comprá-la. Da mesma forma, o usuário não precisa ter nenhuma fonte de alimentação muito especial para utilizar esta placa. Desta forma, terminamos sua análise lhe concedendo o prêmio de Editor's Choice.

Pontos Positivos

  • Construção de boa qualidade
  • Sistema de refrigeração customizado
  • Sistema de alimentação com 5+2 fases digitais
  • Overclock de fábrica e capacidade para ir além
  • Bom desempenho pelo preço, mantendo bom índice de FPS
  • Alta eficiência energética

Pontos Negativos

  • Nenhum problema significativo foi encontrado

Cupons de desconto TecMundo: