A empresa de pesquisa de mercado IDC Brasil divulgou recentemente os dados do mercado de tablets no Brasil no segundo trimestre de 2014. No período, foram comercializadas 1.94 milhão de unidades do gadget, o que representa um crescimento de apenas 1% comparado ao segundo trimestre de 2013 e 12% menos do que o volume do primeiro trimestre do ano.

Segundo o analista de mercado da IDC Brasil, Pedro Hagge, a culpa é do varejo brasileiro, que focou na venda de TVs e smartphones antes da Copa do Mundo, diminuindo a divulgação dos tablets. Ainda assim, no semestre inteiro, as vendas totais de tablets foram de 4,2 milhões de unidades, 21% a mais do que no mesmo período de 2013 (3,4 milhões ao todo).

A previsão é que esses dispositivos recuperem o ritmo de vendas acelerado neste segundo semestre, chegando a 10 milhões de unidades vendidas ao final do ano, com um crescimento de 19% em relação a 2013. As vendas agora serão impulsionadas por datas especiais, como Natal, Dia das Crianças e Black Friday, segundo a IDC.

O Brasil está em uma situação favorável para os tablets: os modelos de entrada ainda estão baratos e smartphones com telas maiores ainda não são muito acessíveis. De acordo com a empresa, o tablet é hoje o dispositivo mais barato para acesso casual à internet: no país, produtos de até R$ 500 correspondem a 77% das unidades vendidas no último trimestre.