(Fonte da imagem: Reprodução/Apple)

Um dos maiores pesadelos dos pais acaba de se tornar realidade, pelo menos em algumas escolas de Sidney (Austrália). A St Andrew’s Cathedral School acabou de informar aos pais que, a partir do ano que vem, crianças entre 7 e 10 anos terão que possuir um iPad como parte do material escolar. Isso significa que serão gastos US$ 597 a mais por cada criança matriculada.

A escola contou ao Sidney Morning Herald que a exigência pode parecer estranha em um primeiro momento, mas os pais entenderão os motivos em pouco tempo. Além de garantir mais interatividade entre alunos e conteúdos mostrados em sala de aula, com os tablets também é possível carregar uma quantidade muito maior de livros.

Isso pode ser benéfico não apenas para o bolso dos pais (que acabam economizando no valor gasto com materiais) mas também para as crianças, que passam a carregar menos peso em suas colunas – o que pode afetar o crescimento.

Tablet da Samsung também já é utilizado

Uma outra escola de Sidney também está mudando seus paradigmas de ensino. A St Catherine’s Anglican (apenas para garotas) está experimentando a tecnologia em classes de meninas com 5, 7 e 10 anos de idade. Em vez do iPad, o aparelho utilizado é o Samsung Series 7 Slate PC, que chega a custar US$ 2 mil para os pais (incluindo todos os aplicativos necessários).

Apesar do preço um pouco mais elevado, a escola afirma que os pais não se incomodaram, pois logo perceberam que os benefícios podem ser realmente grandes. Um professor disse ao Sidney Morning Herald: “Tenho alunas doentes que estão em casa e conseguem acompanhar minhas aulas. Elas podem me ver e me ouvir!”

As duas escolas australianas afirmam que os benefícios da educação com os tablets têm sido muito visíveis. Será que a moda pega em outros países?

Fonte: Sidney Morning Herald e MacWorld Australia

Cupons de desconto TecMundo: