(Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

Apesar do falatório sobre o Surface, ninguém sabia exatamente qual era a ideia da companhia de Redmond ao lançar seu próprio tablet. Hoje, a resposta foi revelada por Craig Mundie, chefe de pesquisa e estratégia da Microsoft, durante o TechForum que está rolando nesta semana.

Mundie explica que a Microsoft não se importava em deixar o design e o hardware por conta de terceiros, principalmente porque as empresas parceiras ofereciam opções de hardware e preço. No entanto, o que motivou a companhia a lançar o Surface foi a impossibilidade de garantir uniformidade da qualidade de experiência do usuário.

“Ocorre que tínhamos as quatro categorias de dispositivos (players de música, aparelhos touch, telefones e tablets) no mercado, mais de um ou dois anos antes da Apple lançar algo, mas por uma série de razões — escolhas de negócios que fizemos na época — não capitalizamos”, relata Craig Mundie.

(Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

Apesar de demorar a lançar seu próprio tablet, Mundie diz que, quando se fala em software, a Microsoft sempre fez melhor que qualquer outra empresa. Segundo a informação publicada no The Verge, a companhia sempre teve os períodos mais longos de testes e vendeu muitas licenças do Windows e do Office.

Um concorrente para a Apple

Quando perguntaram se a Microsoft estava feliz com o investimento no Surface e se valia a pena arriscar as relações com as empresas parceiras, o executivo da companhia disse que com certeza valia a pena. Craig Mundie afirmou que um dos grandes desafios da empresa era criar um dispositivo de alta qualidade física que pudesse bater de frente com a Apple.

Conforme a notícia do The Verge, Mundie acredita que o Surface é este aparelho, se você estiver disposto a pagar o alto preço para ter algo de alto desempenho e com design diferenciado. É importante notar que ele não se refere apenas ao consumidor, mas também ao alto custo que a empresa teve.

(Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

“É caro construir um produto premium”, explica Mundie. “Nós estávamos dispostos a fazer isso, então nós o construímos e acho que nos sentimos bem quanto a isso.” A Microsoft provou que pode criar hardware de qualidade, mas, agora, ela vai precisar mostrar que tem capacidade de vender sua obra-prima.

Cupons de desconto TecMundo: