Microsoft balançou o mundo da tecnologia (Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

A Microsoft realizou um incrível evento de lançamento, mostrando ao mundo a sua entrada de cabeça no mundo dos tablets. Chamada de Surface, a linha anunciada pela companhia promete chacoalhar a concorrência, trazendo uma série de funcionalidades e recursos.

Se você leu o nosso artigo sobre os novos gadgets, já conhece em detalhes alguns dos destaques dos aparelhos, como a tela com formato de imagem 16:9 e alta angulação, a câmera com 22 graus de inclinação, a Kickstand ou a incrível Touch Cover.

Porém, apesar das inovações mostradas no lançamento, somente quando colocarmos as nossas mãos nos gadgets é que poderemos ver realmente o que eles são capazes de fazer. Pensando nisso, alguns sites, como o Gizmodo e o Mashable, decidiram fazer um contraponto.

As páginas elaboraram artigos que apontam algumas questões que colocam em discussão o sucesso dos tablets da Microsoft. Conheça, a seguir, algumas perguntas que só o futuro da linha Surface vai ser capaz de responder.

1. Haverá suporte aos planos de dados?

Apesar dos vários recursos apresentados pela companhia, um elemento crucial para o sucesso de um aparelho móvel não ficou claro: haverá a possibilidade de utilização de planos de dados de telefonia móvel?

O assunto, na verdade, não foi abordado em nenhum momento, parecendo que a Microsoft resolveu mesmo ignorá-lo. Dessa forma, ainda não sabemos se algum dos modelos virá com tal compatibilidade e se haverá suporte às tecnologias 3G ou 4G.

2. Quanto eles vão custar?

Os aparelhos são bonitos, funcionais e com certeza despertaram o desejo de muita gente que não vê a hora de poder comprar um tablet Surface. Contudo, a apresentação também não trouxe os valores de comercialização dos gadgets, e a Microsoft se limitou a dizer que eles terão “preços competitivos”.

Quanto um tablet Surface vai custar? Ainda não sabemos. (Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

É lógico que a companhia tem os seus motivos. Se divulgassem o preço agora, meses antes de os aparelhos chegarem às lojas, os concorrentes teriam tempo para fazer os devidos cortes e poder bater os valores anunciados pela gigante de Redmond. Porém, com uma definição vaga destas, temos que concordar: ficou difícil apontar qual é o padrão de preços avaliado pela gigante de Redmond.  

Os valores imaginados pelos especialistas ficariam por volta de 600 dólares (cerca de R$ 1.229), para a versão “mais simples”, e mil dólares (2.048 reais), para o Surface com Windows 8 Pro, uma vez que o segundo competiria também com os ultrabooks que trazem o processador Intel Core i5.

3. Faltaram informações específicas

Durante a apresentação, a Microsoft conseguiu impressionar a todos, mostrando grande capacidade de armazenamento e processadores de cair o queixo. Apesar disso, não ficaram claros muitos aspectos importantes dos tablets.

Quanto tempo a bateria deles vai durar em uso ou em espera? Como é o desempenho dos gadgets quando o assunto é processar games pesados e rodar vídeos em alta resolução? O suporte a multitarefas consegue ser satisfatório como em um notebook?

4. Quando eu vou ter um?

Segundo a Microsoft, a primeira versão do Surface, aquela com Windows RT, deve chegar ao mercado junto com o Windows 8, enquanto que o lançamento do gadget mais poderoso só acontecerá cerca de três meses depois.

Isso já é alguma coisa, porém a companhia ainda não oficializou a data em que o seu novo sistema operacional chegará às lojas. Ou seja: só saberemos quando os tablets estarão nas prateleiras quando a empresa resolver anunciar a data de lançamento do Windows 8.

5. Haverá compatibilidade com o Xbox?

Apesar de a Microsoft ter falado bastante sobre a integração do Xbox com os tablets na última E3 2012, durante apresentação da linha Surface o assunto foi ignorado. Dessa forma, somente podemos presumir que o os recursos do SmartGlass estarão disponíveis.

6. Como os parceiros da Microsoft vão reagir?

Nos últimos tempos, a Microsoft tem dado a entender que deseja entrar com força no mercado dos sistemas operacionais móveis. A versão Windows RT, do Windows 8, é um fator que comprova de forma sólida essas afirmações.

Concorrência desleal? (Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

Entretanto, se o mercado em geral gostou da surpresa trazida pela companhia, os outros fabricantes de gadgets portáteis podem não estar curtindo tanto assim a novidade. Isso porque eles terão que competir com a empresa que criou o SO, o que significa uma grande vantagem competitiva para a própria Microsoft.

Além disso, recentes declarações davam conta de que algumas empresas estão insatisfeitas com a política de preços a ser praticada pela companhia, que estaria cobrando caro pelas licenças do Windows RT, algo que deve refletir no valor de venda dos tablets das outras fabricantes.

Fonte: Gizmodo e Mashable

Cupons de desconto TecMundo: