(Fonte da imagem: iStock)

O supercomputador Titan foi lançado há poucos dias, oferecendo um poder de processamento de até 20 petaflops (20 bilhões de operações por segundo). Agora, a China anunciou que está construindo uma máquina que, segundo os desenvolvedores, será até cinco vezes mais poderosa, capaz de rodar com uma capacidade de 100 petaflops.

A máquina chamada como Tianhe-2 está sendo construída no Centro de Supercomputação de Guangzhou, onde o equipamento deve ficar. Além de começar com todo esse poder, os cientistas chineses garantem que a máquina deve quebrar a barreira de 1.000 petaflops ou 1 exaflop de operações por segundo até 2018.

Essa não é a primeira investida da China no ramo da supercomputação. Em 2010, o país lançou o Tianhe-1A, com capacidade operacional de 4,7 petaflops e que se encontra na quinta posição na lista dos computadores mais rápidos do mundo.

Desenvolvendo tecnologia própria

Até agora, a China dependeu de tecnologia estrangeira para alimentar os supercomputadores, principalmente dos Estados Unidos. Porém, isso está prestes a mudar. De acordo com Zhang Yunquan, um especialista em supercomputadores chineses, o país deve começar a utilizar tecnologia própria progressivamente. Ele afirma que entrar na lista dos supercomputadores mais poderosos do mundo deu mais fôlego para o país investir em pesquisas.

Mas a disputa pelo supercomputador mais poderoso do mundo não é exclusividade da China. Tanto a União Europeia quanto Japão e Estados Unidos possuem ambições semelhantes e, em breve, devem anunciar seus projetos para o futuro.

Cupons de desconto TecMundo: