Feng Wu, um professor de engenharia da computação associado da Virginia Tech, espera criar maneiras de deixar os supercomputadores disponíveis para uma audiência totalmente nova no futuro. Feng é um pioneiro da área da supercomputação que há anos tem pesquisado maneiras de deixar os supercomputadores mais baratos, fáceis de serem montados e gastando menos energia.

O produto de suas pesquisas é o HokieSpeed, um supercomputador de 209 nodos que, apesar de estar em 96º no ranking mundial, custou apenas US$ 1,4 milhões para ser construído e usa CPUs e GPUs convencionais para operar, em vez de processadores específicos para este tipo de aplicação.

Agora, o professor espera usar o HokieSpeed como bancada de testes para criar padrões novos de supercomputadores que podem ficar disponíveis para qualquer um. Wu acredita que o padrão computacional mudou muito em pouco tempo, sendo que um único iPad 2 estaria em 177º no ranking mundial em 1993.

(Fonte da imagem: Divulgação VirginiaTech)

Os supercomputadores domésticos e empresariais do futuro iriam usar o poder de processamento de várias máquinas em casa ou no escritório em conjunto, ou poderiam ser vendidos em um único pacote por um preço bem mais acessível que o de hoje. 

Dessa forma, doutores poderiam processar o resultado de exames sem que o paciente espere mais que alguns minutos e empresas poderiam fazer cálculos complexos de previsão econômica ou ensaios virtuais durante o projeto de produtos, tarefas que nem sonham em fazer hoje por falta de poder computacional.

Cupons de desconto TecMundo: