Algumas pessoas juntam uma boa grana para poder viajar pelo mundo e conhecer diferentes regiões e cenários do planeta. Outras, estão engajadas na ciência e olham para o espaço, vislumbrando as áreas inexploradas do cosmo. Agora, o que falar daqueles que preferem pensar em fazer um passeio debaixo d’água? Que eles estão mais do que certos, é claro. A DeepFlight pensou nesse público é criou um estiloso submarino pessoal chamado Super Falcon Mark II.

A empresa tem em sua equipe diversos designer e engenheiros veteranos, que utilizam princípios dinâmicos empregados em aeronaves para criar um novo conceito de veículo que pode circular de modo submerso. “O Mark II foi construído para rodopiar com golfinhos – do a barrel roll! –, saltar com baleias e levá-lo para qualquer lugar que quiser debaixo d’água com estilo, segurança e conforto”, afirma a DeepFlight em uma modesta descrição de seu mais novo equipamento.

O Super Falcon Mark II tem pouco mais de 5 metros de comprimento e cerca de 2,7 metros de largura, desenvolvido para carregar até dois tripulantes. Graças ao tamanho reduzido e ao corpo feito em grande parte de fibra de carbono – pesando por volta de 1.800 quilos –, o submarino consegue manter uma boa agilidade, podendo atingir até 6 nós (11 km/h) durante os trajetos marítimos. E não se preocupe, você não precisará ficar tão perto da superfície se não quiser, uma vez que o Mark II pode ser guiado até uma profundidade de 120 metros.

A segurança é um dos fatores principais em um veículo desse tipo, sendo assim, o DeepFlight Super Falcon Mark II conta com um recurso que faz com que ele boie automaticamente no caso de ocorrer alguma falha na aparelhagem. Caso a ocorrência seja mais grave, os usuários têm mais chances de serem resgatados, já que há um sistema redundante de suporte à vida que dura por até 12 horas, além de rádios aquáticos e VHF para comunicação.

A DeepFlight faz o seu novo modelo de submarino apenas por encomenda e não há nenhuma informação sobre o custo para se produzir uma belezinha dessas. O mais provável é que, se precisamos perguntar pelo preço, provavelmente não temos o cacife necessário para ter um desses – infelizmente.