(Fonte da imagem: Reprodução/Mark Riffee|Wired.com)

Spencer Ackerman, redator do site Wired, e o fotógrafo Mark Riffee tiveram acesso ao interior do U.S.S. Mississipi, submarino que prossegue rumo à cerimônia de comissionamento. Hoje, o jornalista publicou um texto com as informações que obteve com os oficiais do submersível.

Depois de obter algumas imagens com o submarino ainda na superfície do mar, os jornalistas foram convidados a entrar no veículo. Segundo o relato, nesse momento, o capitão ordenou que o piloto submergisse a 47 metros — profundidade que evita o tráfego marítimo e ideal para retornar a superfície caso aconteça algo de errado.

Preparado para guerra

Depois de verificar que tudo está em perfeita ordem, o U.S.S. Mississipi costuma viajar em uma profundidade de 122 metros. O submarino tem um sonar da mais alta tecnologia, o qual é capaz de detectar veículos inimigos antes que outros consigam enxergá-lo.

(Fonte da imagem: Reprodução/Mark Riffee|Wired.com)

 

O novo veículo da marinha americana foi projetado para guerra. A sala de torpedos em 16 tubos de metal mais largos que rodas de bicicletas, que abrigam torpedos com quase 9 metros de comprimento e mísseis Tomahawk. “Existem dois tipos de veículos na marinha”, explica  Nathan Holmes, um dos chefes do submersível. “Temos os submarinos, e temos os alvos”.

Comunicação

Apesar de ser o mais novo entre os submersíveis da marinha americana, esse submarino tem conexão de satélite limitada. As informações enviadas de bases terrestres nem sempre alcançam o veículo com rapidez.

(Fonte da imagem: Reprodução/Mark Riffee|Wired.com)

Para se conectar com o mundo externo, o U.S.S. Mississipi tem de subir até 18 metros de profundidade para que o periscópio suba e envie e-mails e informações através das redes de alta segurança. Apesar de existir essa troca de dados, o submarino é muito lento no envio e recebimento de dados — pense nas conexões discadas de 56 kbps.

Muita gente e comida

O U.S.S. Mississipi é o lar de 138 homens, os quais devem se acostumar com a falta de privacidade. Os corredores são apertados e os dormitórios acomodam quase 50 homens. Apesar de não oferecer muito conforto, esse submarino foi projetado para ficar até 90 dias debaixo d’água.

(Fonte da imagem: Reprodução/Mark Riffee|Wired.com)

Segundo o relato de Spencer Ackerman, armazenar comida por muito tempo é um problema. Contudo, o alimento é produzido na hora. Os cozinheiros fazem pães frescos todos os dias, garantindo uma refeição de qualidade aos oficiais. Confira mais imagens na galeria abaixo.

Fonte: Wired