(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Pouco após mostrar ao público o novo logo e design do Bing, Steve Ballmer (CEO da Microsoft) participou de uma reunião com acionistas no qual falou sobre o futuro do buscador. O executivo afirmou que somente sua empresa está tentando competir nesse segmento com a Google, que atualmente detém um monopólio que, segundo ele, deveria ser controlado pelas autoridades dos Estados Unidos.

Atualmente, o Bing possui o segundo lugar no ranking de sistemas de pesquisa mais utilizados no país norte-americano, detendo 17% do mercado. Em comparação, o líder absoluto Google possui a preferência de 67% dos usuários, porcentagem que cresce quando se leva em consideração o mercado em uma escala global.

“Se tivermos exatamente a mesma quantidade de algoritmos, mas uma escala muito menos de anúncios, vamos lucrar menos com buscas do que a Google, o que significa que eles vão ter mais dinheiro para pagar por propagandas em dispositivos Samsung ou Apple”, afirmou Ballmer. “Então, temos que gerar um volume maior (de anúncios) para chegar ao mesmo nível”.

Críticas aos métodos da Google

 “Eu acredito que as práticas da Google devem ser discutidas junto às autoridades responsáveis por fiscalizar a competição, e certamente já discutimos com elas algumas vezes”, disse o CEO. “Eu não acredito que seus comportamentos tenham se tornado menos dignos de discussão nos últimos tempos”, complementou.

Atualmente, a Microsoft, junto a companhias como a Nokia, participa de uma iniciativa conhecida como Fair Search, que tenta mudar a forma como resultados podem ser mostrados em sistemas de buscas. Na Europa e nos Estados Unidos, a Google é alvo de ações que pede que ela mude sua metodologia de pesquisas, que são consideradas injustas por suas concorrentes.

Cupons de desconto TecMundo: