Detectado há cerca de cinco meses por alguns usuários mais atentos do serviço, um bug no Spotify pode estar causando prejuízo aos internautas que costumam ouvir suas músicas no PC. Calma, não se trata de trojans, anúncios maliciosos ou nenhum tipo de vazamento de dados. Aparentemente, um erro nas versões do programa para Windows, Mac e Linux tem feito com que ele grave grandes quantidades de dados continuamente no seu disco, podendo reduzir – e muito – a expectativa de vida do armazenamento do seu computador.

Pode parecer algo bobo em um primeiro momento, mas a verdade é que o montante de informações que vinham sendo escritas pelo aplicativo supera qualquer tipo de uso regular desse tipo de hardware. Em menos de uma hora com aberto e sem tocar nada o app podia chegar a escrever mais de 10 GB de dados no seu HD, com esse número podendo chegar em algumas boas centenas de GB caso houvesse reprodução contínua de conteúdo ou o software ficasse ativo por períodos mais longos.

O SSD, à direita, é quem mais sofre com o bug

Como quem usa o Spotify no PC costuma deixar ativada a opção que roda o player assim que o sistema operacional é iniciado, as chances são de que essa verdadeira “tentativa de assassinato” contra peças que tem um ciclo de vida pré-estabelecido já tenha criado terabytes de lixo no seu PC. Enquanto no caso de discos rígidos convencionais o efeito desse acesso constante pode significar pequenas lentidões e um certo desgaste das partes mecânicas, para os SSDs a história pode ter um final bem triste.

Um SSD que deveria durar algumas décadas pode ter a sua longevidade reduzida para apenas alguns anos

Isso porque essas unidades baseadas em memória flash já saem de fábrica com um certo número de vezes em que elas podem escrever dados antes de partirem desta para uma melhor. Com o uso extremo desencadeado pelo app, um SSD que deveria durar algumas décadas pode ter a sua longevidade reduzida para apenas alguns anos. “Se o óleo da Castrol diminuísse a vida útil do motor do seu carro em cinco ou dez anos, eu imagino que os usuários gostariam de estar cientes disso”, comentou um usuário do serviço ao site Ars Technica.

Antes tarde do que nunca...

Mesmo que para muitos dos assinantes mais atentos a empresa tenha demorado para se pronunciar a respeito do problema, o fato é que, desde a última quinta-feira (10), a dona do serviço de streaming tem trabalhado para garantir que o bug não aconteça mais. “Temos visto alguns questionamentos da comunidade a respeito da quantidade de dados escritos pelo cliente do Spotify para desktops. Eles foram analisados e qualquer preocupação nesse sentido foi resolvida na versão 1.0.42”, explicou a companhia.

Com a atualização realizada, tudo parece voltar ao normal

Inicialmente, o update foi liberado aos poucos, mas agora as chances são de que boa parte dos usuários já tenha acesso à atualização – incluindo os consumidores brasileiros. Em testes feitos com o aplicativo durante a produção desta matéria e com o novo patch já instalado, constatamos que o volume de transmissão e escrita de dados está dentro do esperado para a reprodução de arquivos musicais pela web. E você, teve problemas com esse bug do Spotify? Deixe o seu relato mais abaixo, na seção de comentários.

Cupons de desconto TecMundo: