Spam

A Microsoft afirmou ter parte na derrubada de um dos maiores produtores de spam de todo o mundo. Tudo começou com uma ação judicial movida pela fabricante do Windows contra uma operadora da rede de PCs infectados e programados para enviar mensagens sem autorização dos destinatários (redes conhecidas “botnet”).

A partir disso, foi conduzida uma série de buscas por parte das autoridades nesta quinta-feira (17), em diversos locais dos Estados Unidos. O resultado da operação foi o fechamento de uma rede. Blogs e serviços de tecnologia que acompanham botnets ao redor do mundo acusaram uma grande diminuição nos spams produzidos pela rede Rustock, apontada como a geradora de metade dos spams que chegam às caixas de entrada de emails de todo o planeta.

A colaboração da Microsoft no caso, que as autoridades afirmam ainda não estar completamente resolvido, pois novos esforços são requeridos em longo prazo, veio por parte de buscas realizadas juntamente com policiais federais em operadoras de rede em sete cidades estadunidenses, entre elas Denver, Chicago e Seattle.

A Microsoft acredita que a rede Rustock, responsável por trapaças ligadas a ofertas de produtos farmacêuticos e preços de loteria, infectou um milhão de computadores com o malware “Rustock” e envia até 30 bilhões de spams diariamente sem o conhecimento de seus usuários.

A maior fabricante de softwares do mundo informou que trabalha com provedores de acesso à internet e equipes de reação rápida para que o Rustock seja removido das máquinas de usuários em todo o mundo.

Cupons de desconto TecMundo: