Há tempos produzindo resultados aquém do esperado, a divisão mobile da Sony pode estar com seus dias contados. Segundo a Reuters, o CEo da companhia, Kazuo Hirai, definiu 2016 como o ano-limite para a divisão começar a dar lucros ou ao menos bater os investimentos que faz — caso contrário, ele pode passar a procurar por “opções alternativas” para o futuro nesse segmento.

Embora ainda não se saiba qual a alternativa que a empresa tomaria nessa situação, não se descarta a possibilidade de ela abandonar totalmente o negócio de smartphones. Como presidente, Hirai já cortou diversas divisões consideradas importantes que não se mostravam lucrativas, como aquela responsável pelos produtos da linha VAIO.

Apesar de medidas de cortes de gasto, a divisão mobile da Sony deve registrar perdas de US$ 480 milhões no final do ano fiscal atual. O valor é substancialmente maior do que os US$ 310 milhões previstos pela companhia em abril deste ano — nos Estados Unidos, a linha Xperia possui participação de mercado abaixo de 1%, valor que chega a 17,5% no Japão.

Mudanças são esperadas

Entre as principais críticas feitas aos smartphones da fabricante está o fato de que a transição rápida entre gerações fez com que os consumidores perdessem interesse por ela. Além disso, a pressão exercida por fabricantes chineses faz com que seja cada vez mais difícil lucrar com a fatia intermediária do segmento, por mais que a empresa tenha algumas opções interessantes nessa área.

O fim da produção de dispositivos mobile não deve ser a única mudança que a Sony pode promover no futuro. Recentemente, a companhia anunciou que vai dar mais independência à sua lucrativa divisão de sensores de imagem de forma a permitir que ela concorra no mesmo nível que rivais como a Samsung e a Omnivision.

Cupons de desconto TecMundo: