(Fonte da imagem: Divulgação/Sony)

A Sony está começando a se recuperar dos prejuízos registrados no ano passado. Esse retorno, porém, ainda não foi suficiente para Daniel Loeb, gerente de um fundo de investimentos que possui a maior quantidade de cotas da empresa. Ele pede uma separação entre os setores de mídia e eletrônicos, que hoje caminham juntos na estrutura da empresa.

O investidor, que tem 6,5% das ações da empresa, afirma que os dois braços da companhia possuem grande valor, mas estão se obscurecendo entre si, dificultando o trabalho da empresa diante dos desafios do mercado atual. Loeb sugere o seguinte: que a divisão de música, televisão e produção de filmes e seriados seja separada dos negócios que envolvem câmeras, smartphones, televisores e a marca PlayStation.

E falando em causa própria, o investidor afirma ter solicitado diretamente ao presidente da empresa, Kaz Hirai, que a Sony dê um controle maior aos donos de grandes cotas da companhia. A ideia é injetar capital na empresa por meio da separação entre as divisões, através da oferta de novas cotas de ações.

Em comunicado oficial, a Sony afirmou que Hirai entende os anseios dos investidores, mas que, por enquanto, a Sony Entertainment continuará sendo uma parte integrante do conglomerado.

Cupons de desconto TecMundo: