Review: Sony PlayStation Gold Wireless Headset

6 min de leitura
Imagem de: Review: Sony PlayStation Gold Wireless Headset
Avatar do autor

Lançado em janeiro deste ano, o Gold Wireless Headset é a mais recente aposta em sua linha de fones de ouvido voltados à linha PlayStation. Embora possa ser usado como um produto convencional, o aparelho possui características especiais que só se revelam quando o combinamos com um dos consoles produzidos pela empresa.

Tivemos a oportunidade de conferir o que o aparelho tem a oferecer e, após uma bateria completa de testes, preparamos uma análise completa. Além de discorrermos sobre o acessório, estabelecemos comparações com o modelo Pulse Elite 7.1 (lançado em 2012 para o PlayStation 3) para que você possa fazer uma compra mais consciente.

Especificações técnicas

Áudio

  • Tamanho dos drivers: 40 milímetros
  • Impedância: 32 ohms
  • Resposta de frequência: 20 Hz a 20 kHz
  • Surround Sound Virtual 7.1
  • Sensibilidade: 100 dB
  • Modo de saída: Estéreo

Microfone

  • Tipo: Embutido
  • Modo de operação: Mono
  • Bateria: 8 horas de duração

Design

Disponível na cor preta com detalhes em azul (o modelo branco não está disponível no momento desta análise), o Gold Wireless Headset possui um visual bastante compatível com o do PlayStation 4.  Ao contrário de outros acessórios voltados a jogos, o dispositivo opta por um acabamento discreto que só deixa clara a sua relação com o mundo dos games através de pequenos ícones em suas caixas acústicas e nas laterais de sua haste.

Embora seja construído em plástico, o dispositivo passa uma sensação geral de resistência, com uma única exceção a essa regra: o mecanismo que ajusta a altura das saídas de som. Esse componente específico parece sensível demais ao toque e há a sensação de que ele pode se partir caso o usuário use um pouco mais de força.

O Gold Wireless Headset concentra seus controles de volume e o botão para deixar o microfone no modo mudo em sua saída de som esquerda. No mesmo local, o usuário encontra o mecanismo para ligar ou desligar o aparelho, o acionador do modo surround sound virtual, uma conexão P2 e uma entrada Micro USB para realizar a recarga de sua bateria interna (um cabo do tipo vem incluso na embalagem).

O acessório possui um tamanho avantajado, o que traz como benefício o fato de ele se encaixar sem problemas em praticamente qualquer tamanho de cabeça. Para completar, os painéis laterais do produto podem ser removidos livremente e trocados por outras opções — no entanto, até o momento, a Sony não vende nenhuma alternativa de customização oficial para o aparelho — em demais aparelhos, só é possível usar o gadget através da conexão P2.

Instalação e software

Para passar a usar o Gold Wireless Headset, basta conectá-lo a uma das entradas USB do PS 3 ou do PS4, ligar o acessório e aguardar alguns segundos até que ele seja reconhecido automaticamente. Também é preciso mexer nas configurações do console utilizado e escolher o produto como a fonte de som preferencial, caso contrário sua televisão continuará tendo prioridade sobre ele.

Embora não seja necessário, o download do “Headset Companion App” (disponível exclusivamente através da PSN) permite inserir um perfil especial dentro da memória do headset. Além de contar com opções destinadas a músicas, filmes e jogos específicos (como InFamous: Second Son e The Last of Us), o aplicativo permite que você opte por uma equalização totalmente personalizada.

Para completar, também é possível usar o acessório como um fone de ouvido sem fio para o PC. Para isso, basta conectar o pequeno bastão USB que acompanha o produto em uma entrada compatível e aguardar até que o Windows faça a instalação automática dos drivers adequados.

Desempenho

Antes de discorrer sobre o desempenho do Gold Wireless Headset, é preciso levar em consideração que o produto se comporta de forma única quanto conectado a um PlayStation 3 ou a um PlayStation 4. É somente durante esses momentos em que é possível aproveitar o modo surround 7.1 do produto, que se mostra eficiente em aumentar a imersão em jogos eletrônicos.

Já durante os momentos em que o acessório é conectado a algum dispositivo através de um cabo P2, ele perde totalmente essa característica. O resultado disso é um produto que, apesar de reproduzir músicas e conteúdos sem nenhuma espécie de distorção, peca por reproduzir tons graves de forma pouco satisfatória.

Um quesito no qual o produto se destaca é na duração de sua bateria. Com uma única carga, é possível jogar e escutar músicas durante um período médio de 8 horas, marca considerada bastante satisfatória para um produto de sua categoria — mesmo quando a energia acaba, ainda é possível usar o aparelho normalmente com o auxílio do cabo P2 que o acompanha.

Em matéria de conforto, o Gold Wireless Headset surpreende, apresentando um peso leve que em nenhum momento se prova problemático. Mesmo após horas de uso contínuo, o acessório se provou bastante confortável e não gerou a necessidade de retirá-lo.

Para finalizar, é preciso fazer uma crítica à maneira encontrada pela Sony para permitir que você troque entre os diferentes perfis de uso. Em vez de apresentar um botão dedicado a essa função, a empresa optou por um pequeno mecanismo que alterna entre essas opções, que também é responsável pelo desligamento do produto — algo que acaba resultando em uma série de acidentes indesejados.

Gold Wireless ou Pulse Elite?

Mesmo com o lançamento do Gold Wireless Headset, a Sony continua vendendo o headset Pulse Elite, o que pode gerar certa confusão entre os consumidores. Para evitar isso, é preciso levar em consideração que, enquanto o primeiro pode ser considerado um “modelo econômico”, o segundo continua ocupando o espaço “Premium” entre os fones da companhia especializados na linha PlayStation.

As vantagens do Pulse estão no fato de ele permitir o uso simultâneo de seis perfis personalizados e em seu sistema “Bass Impact”, que garante uma maior imersão em jogos selecionados. O acessório também possui uma capacidade sonora melhor, o que pode ser comprovado facilmente por seus graves acentuados — característica ausente no modelo mais recente. Para completar, o bastão USB que acompanha o periférico dá características sem fio a qualquer produto conectado a ele através de um cabo P2, característica ausente no outro modelo.

Já o Gold Wireless traz como vantagem uma bateria mais duradoura, um design mais atraente (algo que reconhecemos estar aberto a interpretações) e uma experiência de uso mais confortável. Além disso, o produto traz como vantagem um preço menos acentuado: no Brasil, pode ser encontrado por aproximadamente R$ 300, enquanto a Elite Edition fica na casa dos R$ 450.

Vale a pena?

Caso você procure um fone de ouvido sem fio de qualidade, o Gold Wireless Headset é uma ótima opção para complementar seu PlayStation 3 ou PlayStation 4. No entanto, caso você não possua algum desses aparelhos, o principal recurso do produto (o surround 7.1 virtual) se perde e ele passa a ser somente um dispositivo mediano, que não se destaca em meio a produtos especializados.

E é justamente aí que reside a principal limitação do acessório: embora seja bonito e confortável, ele só faz sentido real caso você o use junto a um console produzido pela Sony. Em outras palavras: se você procura um dispositivo cuja principal função é ouvir músicas com qualidade, deixando os jogos em segundo plano, é melhor investir em produtos mais versáteis, como aqueles produzidos por nomes como Shure, AKG e Sennheiser.

Outro problema que se coloca no caminho do Gold Wireless Headset é a existência do Pulse Elite Edition que, apesar de mais caro, se prova um produto mais completo no geral. Com isso, o dispositivo fabricado pela Sony se mostra uma opção competente, mas que depende muitas condições específicas para se adequar àquilo que um consumidor em potencial necessita.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Review: Sony PlayStation Gold Wireless Headset