Android 13 terá suporte nativo para braille

1 min de leitura
Imagem de: Android 13 terá suporte nativo para braille
Imagem: Shutterstock

O Google anunciou hoje (19) que o Android 13 vai contar com suporte nativo para telas braille, por meio do leitor de tela Talkback, dispensando a necessidade de baixar um aplicativo para acessar o recurso. A novidade já havia sido sugerida pela empresa durante a edição 2022 da Google I/O, realizada na semana passada.

Para utilizar o display braille conectado a um dispositivo Android, atualmente, é preciso ir à Play Store e baixar o app BrailleBack. Mas isso vai mudar na próxima geração do sistema operacional, que deve ser lançada até o final deste ano, com o procedimento ficando mais simples para as pessoas com deficiência visual.

Segundo a companhia de Mountain View, os downloads adicionais não serão mais exigidos a partir da atualização do software para a maioria das telas braille. Além disso, o usuário continuará a acessar muitos dos mesmos recursos com os quais estava acostumado no app, incluindo os botões de exibição para navegar pela tela e realizar atividades como digitar e-mails e mensagens de texto.

As melhorias tornarão o celular "mais amigável" às pessoas cegas, conforme a Google.As melhorias tornarão o celular "mais amigável" às pessoas cegas, conforme a Google.Fonte:  Shutterstock 

Também serão adicionados novos atalhos para otimizar o uso de linhas braille com o Talkback. Por meio deles, ficará mais fácil pular para a próxima linha, caractere ou palavra, pular para o final de um documento e também selecionar, copiar e colar textos, entre outras coisas.

Disponibilidade na versão beta

Desenvolvedores e testadores do sistema operacional terão acesso antecipado às novidades no Talkback. De acordo com a gigante das buscas, as melhorias e novas funções poderão ser conferidas na próxima versão beta do Android 13, que será lançada em “algumas semanas”.

As atualizações, apresentadas no Dia Global de Conscientização sobre Acessibilidade, objetivam ajudar as pessoas cegas a utilizar seus celulares silenciosamente, sem a necessidade de comandos de voz. Elas também têm como foco as pessoas com surdocegueira, tornando os dispositivos mais amigáveis para este público.

“Este é apenas o primeiro passo no desenvolvimento dessa integração, e mal podemos esperar para fazer ainda mais para expandir a funcionalidade e criar mais recursos relacionados”, comentou o analista de acessibilidade da Google, Nimer Jaber.