Novo SO da Google, Fuchsia poderá rodar apps de Android e Linux

1 min de leitura
Imagem de: Novo SO da Google, Fuchsia poderá rodar apps de Android e Linux
Imagem: XDA Developers
Avatar do autor

A Google continua trabalhando em um novo sistema operacional feito do zero, o Fuchsia, e algumas novidades sobre o software surgiram na web novamente. Segundo informa o 9to5Google, a empresa está desenvolvendo uma solução que permitirá rodar apps de Android e Linux na plataforma por meio de um "tradutor de código".

Enquanto o Android e o Chrome OS tem como base o Linux, o Fuchsia possui um kernel próprio chamado Zircon, que foi criado totalmente do zero. Visando garantir suporte para mais apps em sua nova plataforma, a Google está trabalhando em uma tecnologia chamada Starnix, que permitira rodar quase que nativamente os aplicativos de seu principal sistema operacional móvel.

O Starnix é descrito como uma camada de compatibilidade de apps Android e Linux com o FuchsiaO Starnix é descrito como uma camada de compatibilidade de apps Android e Linux com o FuchsiaFonte:  Hot Tech News 

Segundo descreve a documentação da funcionalidade, o Starnix funcionará como um "tradutor" que fará os códigos de Linux e Android rodarem diretamente no Fuchsia. Com isso, o novo sistema conseguiria rodar os apps com poucas perdas em comparação aos sistemas de origem do programa.

O principal benefício da abordagem estudada pela Google e a maior independência de máquinas virtuais. A virtualização constantemente é utilizada para rodar apps em sistemas externos, mas o processo pode exigir bastante desempenho do dispositivo.

Solução temporária

Segundo ressalta o 9to5Google, mesmo que a ferramenta não seja perfeita e abra softwares com eventuais falhas, o Starnix pode servir como uma solução temporária para desenvolvedores enquanto um aplicativo nativo para o Fuchsia é desenvolvido. Porém, todo o conceito do "tradutor de códigos" ainda está em desenvolvimento.

A Google apenas apresentou a proposta do Starnix de maneira oficial em seu site para desenvolvedores e está estudando a possibilidade de implementação no futuro. Considerando que o Fuchsia ainda pode estar longe de ser lançado, o sistema ainda deve passar por muitas revisões e aprimoramentos antes de se tornar realidade.