Flash Player tem sua execução bloqueada a partir de hoje

1 min de leitura
Imagem de: Flash Player tem sua execução bloqueada a partir de hoje
Imagem: Wccftech
Avatar do autor

Depois de divulgar em dezembro passado a última atualização do Flash Player, a Adobe comunicou aos usuários que o aplicativo terá a execução de conteúdos bloqueada a partir desta terça-feira (12). A obstrução definitiva era um evento previsto no calendário da multinacional americana para o término do software.

A despedida do Adobe marca o fim de 24 anos do Flash Player, um utilitário que esteve presente em quase todas as operações da internet que envolviam transformação de texto simples em vetores e gráficos para criar animações, desenhos, imagens e até mesmo streaming de áudio e vídeo na internet.

A “morte” do Flash Player já estava anunciada no site da Adobe, desde meados de 2017, que argumentou que o encerramento do aplicativo teria sido desencadeado pela evolução e maturação de padrões abertos, do tipo HTML5, WebGl e WebAssembly, que “fornecem muitos dos recursos e funcionalidades em que os plug-ins foram pioneiros”, tornando-se assim alternativas mais viáveis.

Como proceder com o Flash Player instalado?

Fonte: Adobe/ReproduçãoFonte: Adobe/ReproduçãoFonte:  Adobe 

Em uma entrevista ao site Tecnoblog em dezembro, a Adobe afirmou que não haverá nenhum tipo de alternativa oficial ao software, ou seja “não existirão versões alternativas do Flash Player para download em sites terceiros”, e aconselhou aos usuários que desinstalem o Flash imediatamente de suas máquinas.

Os representantes da companhia explicaram também que os principais navegadores continuarão a desabilitar a execução do Flash Player “após a data do EOL” (iniciais em inglês de término da vida).

Porém, “end of life” do aplicativo não significa o fim dos conteúdos feitos especialmente para a plataforma. Em novembro do ano passado, o Internet Archive, organização dedicada a preservar arquivos multimídia de informações, anunciou que iria guardar animações e jogos em Flash.

Essa curadoria pretende manter snapshots das páginas do Flash Player, que vêm sendo apagadas pela Adobe e Apple, e garante que os conteúdos existentes poderão ser executados em navegadores com WebAssembly, sem necessidade de instalação do saudoso plug-in.