O que diferencia o uso de Containers e microsserviços?

2 min de leitura
Patrocinado
Imagem de: O que diferencia o uso de Containers e microsserviços?
Imagem: Shutterstock
Avatar do autor

Existem dois conceitos relativamente novos e que têm como objetivo modernizar os processos de uma empresa: microsserviços e Containers. Esses temas chamam cada vez mais atenção das organizações que querem se tornar eficientes. Mas como essas duas tecnologias se relacionam e o que diferencia o uso de cada uma delas?

O que são microsserviços e Containers?

Entenda o que significa cada uma dessas tecnologias (Imagem: Shutterstock)
Entenda o que significa cada uma dessas tecnologias (Imagem: Shutterstock)

Antes de entendermos a diferença entre os conceitos, precisamos compreender como eles funcionam, pois sem isso não seremos capazes de identificar quando utilizar cada uma das tecnologias.

Microsserviços

Esse termo faz referência a uma arquitetura adotada principalmente na criação de aplicações e tem se tornado popular entre os programadores por permitir certa flexibilidade ao desenvolver softwares que antes eram criados de forma monolítica. Ao adotar os microsserviços, cada parte do software não está intimamente conectada, impedindo que uma única falha ou alteração em um ponto do programa cause instabilidade em todo o sistema.

Containers

Essa tecnologia está mudando a forma como as operações de TI são realizadas, assim como a virtualização de servidores fez anos atrás. Porém, ao contrário dessa solução que perdura há algum tempo, os Containers são blocos de espaços divididos pelo Docker (principal metodologia de conteinerização) e que compartilham o mesmo sistema operacional.

A vantagem dessa abordagem é a utilização de menos recursos, já que cada Container não tem o próprio sistema operacional. Dessa forma, as aplicações são mais leves e ainda oferecem portabilidade, podendo rodar em uma instância na nuvem ou em um servidor dedicado, por exemplo, pois todas têm arquivos, dependências, variáveis de ambiente etc.

Diferença entre microsserviços e Containers

Entenda a diferença entre cada uma dessas tecnologias (Imagem: Shutterstock)
Entenda a diferença entre as tecnologias. (Imagem: Shutterstock)

Conteinerização é apenas um método de empacotamento e execução de uma aplicação. É possível ter um software monolítico como Container, do mesmo modo que é possível ter uma grande variedade de microsserviços que não utilizam o conceito de Containers.

Microsserviços fazem referência a um padrão de desenvolvimento de software, e a conteinerização é uma metodologia que compartilha recursos e tecnologia. Embora sejam diferentes, microsserviços e Containers podem se dar muito bem juntos; quando implementados de forma unificada, oferecem uma série de vantagens importantes para o desenvolvimento de aplicações.

Vantagens da utilização de Containers e microsserviços

  • Menor necessidade de recursos.

  • Independência entre aplicativos e infraestrutura.

  • Otimização dos processos com foco nas aplicações.

  • Redução de custos graças à infraestrutura mais enxuta.

  • Criação de módulos reutilizáveis.

Como podemos ver, microsserviços e Containers se dão muito bem. Portanto, ao aprender um deles, procure estudar a respeito do outro para se tornar um profissional ainda mais completo.

...

Quer ler mais conteúdo especializado de programação? Conheça o IBM Blue Profile e tenha acesso a matérias exclusivas, novas jornadas de conhecimento e testes personalizados. Confira agora mesmo, consiga as badges e dê um upgrade na sua carreira!

O que diferencia o uso de Containers e microsserviços?