Apple é acusada de favorecer seus próprios apps na App Store

1 min de leitura
Imagem de: Apple é acusada de favorecer seus próprios apps na App Store
Avatar do autor

Na última terça-feira (23), uma investigação do Wall Street Journal publicou uma série de testes e indicou que os aplicativos da Apple são quase sempre exibidos em primeiro lugar nos resultados de pesquisa da App Store, a única loja de apps disponível no iOS.

Isto indica que os critérios da empresa para apresentar os aplicativos disponíveis favorecem a si mesma em detrimento dos aplicativos concorrentes, mesmo quando eles são mais relevantes. A Apple se manifestou em um comunicado, negando as acusações.

A investigação apontou que, em 60% das categorias de aplicativos, as ofertas da própria empresa aparecem sempre em primeiro lugar. Também, em algumas outras categorias, como mapas, livros e música, os aplicativos proprietários Apple são menos populares que os demais disponíveis, mas continuam surgindo em primeiro lugar nas buscas na App Store.

Considerando que muitos aplicativos geram uma imensa receita para a Apple, o favorecimento de seus próprios aplicativos na App Store traz vantagens desleais à companhia, principalmente com relação a planos de assinatura, como o Apple Music. O domínio da Apple na App Store aparece também essa categoria: o primeiro resultado é sempre o Apple Music, em detrimento dos mais populares YouTube Music ou Spotify.

Apple é acusada de favorecer seus aplicativos na App Store (Fonte: Visual Hunt/Reprodução)
Apple é acusada de favorecer seus aplicativos na App Store (Fonte: Visual Hunt/Reprodução)

A defesa da Apple

Em sua defesa, a empresa informou que seus clientes estão conectados aos seus produtos e serviços, sendo mais populares entre os consumidores. A empresa declarou também que muitos de seus usuários utilizam o campo de busca da App Store para encontrar seus aplicativos, influenciando nos resultados.

Ainda, a Apple informou que o algoritmo de busca da App Store baseia-se nas preferências do consumidor e que todos os aplicativos estão sujeitos ao mesmo algoritmo. A empresa mantém o seu algoritmo de classificação em segredo para evitar a manipulação de resultados de pesquisas.

Mas informou que existem 42 fatores envolvidos na determinação da posição de um aplicativo em uma busca, tais como avaliações, comportamento do usuário, número de downloads, dentre outros. Contrariamente, os próprios aplicativos da Apple não apresentam classificações na App Store.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Apple é acusada de favorecer seus próprios apps na App Store