Imagem de: Microsoft proíbe funcionários de usar Slack, rival de seu Teams
Fonte: Slack/Divulgação

Microsoft proíbe funcionários de usar Slack, rival de seu Teams

1 min de leitura
Avatar do autor

Os mais de 100 mil funcionários da Microsoft estão proibidos de usar o Slack, utilitário de comunicação interna para grupos e empresas. A companhia possui um rival chamado Teams e jura que não é essa a razão pela qual está banindo o app — e sim por questões de segurança.

Encorajamos o uso do Team em vez de um software concorrente, diz memorando interno da Microsoft

Segundo o GeekWire, um comunicado interno diz o seguinte: “as versões gratuitas e padrão do Slack, além do Slack Plus, não fornecem controles necessários para proteger adequadamente a Propriedade Intelectual da Microsoft. Os usuários existentes dessas soluções devem migrar o histórico de bate-papo e os arquivos relacionados aos negócios para o Microsoft Teams, que oferece os mesmos recursos e aplicativos integrados do Office 365, incluindo funcionalidades de chamada e videoconferência”.

microsoftFonte: Microsoft/Divulgação

A edição completa do Slack, contudo está “em dia”, mas mesmo assim a Microsoft “encoraja” o uso do Teams. “Saiba mais sobre os recursos adicionais que o Teams pode fornecer ao seu grupo de trabalho. A versão do Slack Enterprise Grid está em conformidade com os requisitos de segurança da Microsoft; no entanto, encorajamos o uso do Teams em vez de um software concorrente.”

Amazon Web Services, Google Docs e outros também estão na mira

O “desencorajamento” de uso de aplicativos de companhias rivais atinge outros utilitários famosos, como as nuvens do Amazon Web Services e do Google Docs. Ambos exigem “justificativas corporativas” para serem usados e até o GitHub, que é da Microsoft, não é aconselhável porque possui “tipos de informações altamente confidenciais, como especificações e códigos”.

O Grammarly é outro que está na lista de banidos. “As extensões de suplemento e navegador do Grammarly Office não devem ser usadas na rede da Microsoft porque elas podem acessar o conteúdo protegido pelo Gerenciamento de Direitos de Informação (IRM, em inglês) em emails e documentos”, diz a gigante de Redmond, em seu memorando interno.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Microsoft proíbe funcionários de usar Slack, rival de seu Teams