Depois de confirmar que passará a fazer parte da comunidade de desenvolvimento em código aberto Chromium (a mesma plataforma que atualiza o Google Chrome), a Microsoft agora dá mais detalhes sobre a nova versão do Edge, que promete ficar mais leve, compatível com as extensões do Chrome e disponível para uma parcela maior de usuários.

Ainda não há previsão de lançamento dessa nova versão do Microsoft Edge

As informações são extraoficiais, foram retiradas pelo site de Paul Thurrott via Reddit, mas se aproximam muito do que a própria companhia já se posicionou em seu blog com o líder de desenvolvimento do Windows, Joe Belfiore. A novidade deve agradar as milhões de pessoas que usam cofres de senhas e apps de gerenciamento de calendários e produtividade, entre outros programas amplamente utilizados mundo afora diariamente.

“Nossa intenção é dar suporte às extensões do Chrome”, confirmou o gerente do Projeto Edge, Kyle Alden, após uma bateria de perguntas sobre esse tópico no fórum. Embora a notícia seja animadora, essas palavras de Alden também indicam que possa haver certo nível de incompatibilidade ou mesmo que o browser possa nem mesmo suportar os complementos do Chrome. Mas, como outros softwares baseados em Chrome (a exemplo do Vivaldi) possuem essa compatibilidade, não há razão para o Edge ser completamente incompatível com o navegador da Google.

“Para todas as plataformas”

Alden também confirmou algo que ficou no ar na semana passada. Perguntado se o Edge estaria disponível no Xbox One, ele disse que o navegador será oferecido “em todos os dispositivos da Microsoft". Assim, além de ser distribuído para o Windows 7 e 8, ele deve estar nos videogames e na HoloLens.

Para encerrar a bateria de perguntas, o chefe do projeto falou que os novos apps progressivos de web (ou PWA, em inglês) serão construídos como softwares nativos mas o “verniz” será feito via internet — ou seja, a grande base do código será estática, com sua superfície sendo atualizada constantemente via Chromium, com a comunidade realizando constantes ajustes. Alden disse que o EdgeHTML/Chakra continuará sendo utilizado, para manter a retrocompatibilidade e espera distribuir os PWAs tanto diretamente via browser quanto via Microsoft Store.