Sabemos que há algumas pessoas que possuem um pouco de dificuldades para utilizar dispositivos tecnológicos e realizar ações básicas em computadores. Já pensou em um dos países com tecnologia mais desenvolvida passando por isso? Pois é, é o que está acontecendo no Japão.

O governo japonês está planejando desenvolver uma lei importantíssima para a imigração, que abriria as portas do país para mais de 300 mil trabalhadores estrangeiros. O projeto se desenvolveria perfeitamente, exceto pelo fato de que surgiram erros na hora de inserir dados dos trabalhadores.

 

O governo forneceu aos responsáveis pela lei uma análise do motivo pelo qual os trabalhadores estrangeiros residentes no país estão saindo do programa de treinamento dos futuros funcionários, o que cria a necessidade do país de criar dois novos vistos de trabalho.

Acontece que o ministro da justiça japonesa admitiu que, na verdade, os dados destes trabalhadores estavam incorretos, e a culpa é de uma planilha do Excel que foi utilizada da forma equivocada: a análise trouxe números exagerados a respeito dos funcionários que abandonaram seus trabalhos porque queriam cargos que pagassem melhor, ao invés de terem saído em função das condições de trabalho ou outros motivos.

 

Embora este tenha sido o argumento do ministro, vale lembrar que o ministro de cybersegurança japonês admitiu recentemente que nunca tinha utilizado um computador. Enquanto isso, a oposição alega que o governo estava, na verdade, distorcendo os problemas com o programa de treinamento em vigência como uma forma de agilizar a aprovação da lei.

Atualmente, há aproximadamente 1,3 milhões de trabalhadores estrangeiros na terra do sol nascente, número que aumentou 17% em relação aos dados do ano passado. Os cargos são variados, como construção, preparo de alimentos, enfermagem, entre outros. Agora, os funcionários estrangeiros estão no país com vistos temporários, que os deixam presos aos empregadores.