Hoje foi o grande anúncio do Galaxy Note 9 e a Samsung até foi generosa na quantidade de anúncios — embora tudo o que tenha sido apresentado vinha sendo cogitado há algum tempo. Uma das novidades é uma versão atualizada da assistente digital Bixby. O modelo 2.0 parece mesmo ter evoluído bastante, ainda que não esteja no mesmo patamar dos concorrentes Alexa e Google Assistente.

A apresentação trouxe mais fluidez no processamento de reconhecimento e resposta, assim como um sistema preditivo mais proativo e mais velocidade, na comparação com o software original. Um dos avanços é a possibilidade de emendar perguntas sem ter que reiniciar a introdução de palavras, assim como a Alexa já pode fazer desde o início do ano.

O aprendizado de máquina também foi aperfeiçoado. Caso você peça recomendações de restaurantes, a assistente vai se basear em dados pessoais, como suas últimas reservas ou pedidos, e exibir uma lista baseadas em suas preferências. Tudo bem que isso deveria estar funcionando há algum tempo, mas a Bixby não fazia isso direito e agora ela até preenche campos de formulários com base nas decisões tomadas anteriormente.

bixby

Segundo a Sammy, o update deve facilitar as chamadas para o Uber e a busca por eventos nas proximidades dos usuários. Isso tudo foi exemplificado ao vivo e a única coisa que a Bixby ainda parece patinar fica com relação ao tempo de resposta. Durante o evento de hoje, houve um certo desconforto no palco quando o gadget demorou um pouco para retornar uma requisição.

Bixby ganhou mais importância nesta temporada

A companhia saiu um pouco atrasada na disputa pelas assistentes digitais, ao introduzir a Bixby em 2017, e agora corre para chegar ao patamar da Alexa e do Google Assistente. O investimento em inteligência artificial tem sido massivo, não somente para aprimorar o software, mas porque a auxiliar digital tem um papel importante para o futuro do ecossistema da sul-coreana.

A ideia é que a plataforma seja um hub para diversos dispositivos, como TVs, geladeiras, smartphones, smart speakers, lavadora de roupas, entre outras coisas. E, para que essa central funcione direito, a Bixby terá que evoluir bastante — e em vários idiomas.