Basta dar uma passeada pelos sites ou pelas lojas para constatar que o setor de assistentes digitais, smart speakers e chatbots anda aquecido. O anúncio do Google Duplex, uma versão do Google Assistente que soa tão natural que chega a assustar, vem para confirmar o investimento das gigantes da tecnologia em uma inteligência artificial (IA) que possa conversar como gente de verdade. A Microsoft, que não é boba nem nada, pretende diminuir a distância da Cortana com os concorrentes e por isso adquiriu a startup Semantic Machines, especializada no assunto.

Líderes da Semantic Machines são considerados pioneiros no setor de assistentes digitais

A companhia, é comandada pelo professor Dan Klein, da Universidade de Berkeley na Califórnia, e por Larry Gillick, cientista que liderava o progresso da Siri na Apple. Ambos são considerados pioneiros nessa área e ajudaram também em melhorias no Google Now. Outros profissionais são renomados na seara de reconhecimento vocal, da Nuance Communications.

semantic machinesExemplo da Semantic Machines de uma conversa mais proativa e natural para um chatbot

A equipe pretende tornar a compreensão da Cortana mais proativa, contextual e ágil nas respostas seguidas de questionamentos e ordens dinâmicas. Por exemplo, ao perguntar o horário de um jogo de futebol, você poder comprar os ingressos ou consultar as condições climáticas do dia sem precisar reiniciar a interface a cada pergunta — isso o Google Assistente e a Alexa já realizam com mais facilidade atualmente.

Mais poder para a nuvem Azure

Fica claro que a Microsoft quer deixar o patamar do Samsung Bixby — que também já anunciou mais pessoal especializado para melhorar o software — e da Siri, além de outros competidores menores, para chegar próximo do nível da Amazon e, quem sabe, da Google, que por enquanto segue na frente das rivais.

A Microsoft vem se dando muito bem com os serviços oferecido pela sua nuvem Azure e integrar atendimento e outras tarefas com uma IA mais “humana” seria ainda mais atraente para quem já vem usando esse setor para o ambiente corporativo, por exemplo. Não foram divulgados valores da compra da Semantic Machines e os resultados dessa aquisição poderemos ver muito em breve.