A plataforma AppFigures divulgou dados de sua última pesquisa e mostrou que a App Store encolheu em 2017, enquanto a sua “rival”, a Play Store, aumentou. Pela primeira vez desde o seu lançamento em 2008, a loja oficial de app da Apple terminou um ano com menos aplicativos do que no período anterior: se 2016 chegou ao fim com 2,2 milhões de aplicativos disponíveis, 2017 fechou com 2,1 milhões (menos 5%).

Já a loja de aplicativos da Google não tem do que reclamar em termos de tamanho, afinal ela cresceu cerca de 30% e terminou o ano passado com 3,6 milhões de aplicativos disponíveis para os usuários de Android. Com isso, a diferença no volume de opções entre a App Store e a Play Store está ainda maior: 1,6 milhão de apps (76%).

AppFiguresGráfico mostra a produção anual de apps para as duas plataformas móveis mais usadas do mundo.

Mas o que explica a retração da App Store, um dos produtos mais rentáveis de toda a constelação da Apple? De forma direta, o AppFigures cita a revisão e aplicação de diretrizes mais restritas para publicação de aplicativos por parte da Apple. Além disso, apps sem suporte para arquitetura 64-bits também foram removidos da loja, o que pode ter contribuído de forma significativa para o encolhimento.

Mais dados

Além de indicar a redução sutil no número de apps disponíveis na App Store, o AppFigures também traz algumas curiosidades a respeito do universo de aplicativos móveis. A pesquisa indica que o caminho mais comum quanto à portabilidade de apps é do iOS para Android, com cerca de 17,5 mil deles sendo convertidos da plataforma da Apple para a da Google em 2017. O caminho inverso foi feito por cerca de 7,5 mil apps.

AppFiguresO caminho mais comum em relação a portabilidade de apps é do iOS para o Android.

Quanto à exclusividade, o Android também sai ganhando: ao todo, 3,2 milhões de apps são exclusivos da plataforma da Google, enquanto apenas a metade disso, ou seja, 1,6 milhões, é exclusiva do iOS. A intersecção entre ambos conta com 450 mil apps disponíveis para os dois sistemas.

AppFigures450 mil apps têm versões para iOS e Android.

Países que mais criam apps

O Brasil fechou 2017 dividindo com a Alemanha a quinta posição no ranking dos países que mais desenvolvem apps — 2,8% para cada um dos países. A liderança da lista fica com os Estados Unidos, o grande celeiro de aplicativos do mundo responsável por 33,5% da produção mundial. Completam as primeiras posições a China (15,9%), a Índia (5,1%) e o Reino Unido (3,3%).

AppFiguresBrasil é o quinto país que mais desenvolve aplicativos para celulares e tablets.

Em relação à criação de aplicativos no Brasil, as categorias mais populares no iOS são negócios e educação. Já no Android, as áreas que mais ganham novas aplicações são música e negócios.

Cupons de desconto TecMundo: