Em 2018, o Museu da História do Computador pretende liberar o sistema operacional por traz do “Apple Lisa” em código aberto para download. 35 anos depois do lançamento desse dispositivo, qualquer usuário poderá baixar, testar e até modificar seu software em casa.

O Lisa foi o primeiro computador pessoal para o ambiente de trabalho a contar com uma interface gráfica para o usuário e trazia uma série de recursos modernos que os concorrentes ainda não ofereciam. Além da interface gráfica que apresentava os programas com janelas, ele era utilizado com um mouse e permitia a organização de arquivos em pastas. Tudo isso eram grandes e desejadas novidades na década de 1980, mas o Lisa acabou ficando famoso por ser um verdadeiro fracasso de vendas..

A Apple só vendeu cerca de 10 mil unidades do aparelho em três anos

Ele custava US$ 10 mil, o que equivale hoje a US$ 24 mil considerando a inflação norte-americana do ano de lançamento até hoje. Dessa forma, a Apple só vendeu cerca de 10 mil unidades do aparelho em três anos.

Steve Jobs foi um dos responsáveis pelo projeto do Lisa, e o fracasso do computador acabou acarretando na sua saída da Maçã alguns anos depois. O CEO da Apple na época, John Sculley, tirou Jobs a força do projeto, o que foi gerando atrito entre os dois posteriormente. Jobs então fundo a NeXT Computer, que foi comprada pela Maçã em 1996. Em 1997, Jobs já ocupava o cargo de CEO da Apple, onde ficou até a sua morte em 2011.

Comercial do Apple Lisa com Kevin Costner.

Cópia?

Na década de 1980, Jobs acusou a Microsoft de copiar toda a tecnologia proprietária do sistema do Lisa na criação da primeira versão do Windows, que também trazia janelas, suporte a mouse e organização de arquivos em pastas, só que para computadores muito mais baratos que os da Maçã. Bill Gates depois explicou que a situação, na verdade, não foi essa: tanto Jobs quanto Gates haviam copiado um conceito desenvolvido incialmente pela Xerox.

Cupons de desconto TecMundo: