Se você acha que a IA ainda está longe de se comparar à capacidade de um humano em tarefas mais complexas – como, por exemplo, pilotar um drone –, é melhor pensar novamente. Isso porque a JPL está trabalhando em um drone controlado por inteligência artificial com uma capacidade de direção incrivelmente precisa, que utiliza apenas um par de câmeras e um sistema de cursos pré-programados para funcionar.

Para provar que o laboratório da NASA não está simplesmente de brincadeira com essa afirmação, a equipe pro trás do projeto colocou sua nova tecnologia frente a frente com o piloto de drones profissional Ken Loo. O desafio foi simples: ver quem consegue concluir uma pista de obstáculos em menos tempo.

Como você pode conferir no vídeo abaixo, a vitória ficou para Loo, mas por muito pouco: o piloto concluiu o trajeto em apenas 13,9 segundos, enquanto o drone o fez em 11,1 segundos.

Se isso quer dizer que a IA ainda não se compara a um humano nessa tarefa? Na verdade, não é bem assim. Para começar, o percurso feito pelo drone foi muito mais “limpo” e suave, com o piloto humano realizando acelerações muito mais agressivas – o que resultou em curvas mais bruscas.

Outra vantagem clara para o drone é o simples fato de que ele não se cansa. “Uma das minhas falhas como um piloto é que eu fico cansado facilmente. Quando eu fico mentalmente fatigado, eu começo a ficar perdido, mesmo se eu voei a pista 10 vezes”, contou Loo. A IA, por outro lado, é capaz de realizar o mesmo trajeto infinitamente sem perda de eficiência, desde que sua bateria permita.

Vale notar, por fim, que todo o projeto não vem apenas com a ideia de fazer uma simples brincadeira: os planos dessa tecnologia são de eventualmente utilizá-la para drones autônomos capazes, por exemplo, de navegar sozinhos por armazéns.

Cupons de desconto TecMundo: