Um software espião causou grande polêmica na França ao prometer “descobrir se o seu filho é gay”. No texto de divulgação da ferramenta, a Fireworld, sua desenvolvedora, oferecia ainda uma série de dicas aos pais para que eles identificassem no comportamento de seus filhos indícios de que eles seriam homossexuais.

Fatos como “ter pierciengs”, “gostar de cantoras mulheres”, “ser cuidadoso consigo mesmo” e até mesmo se interessar mais por leitura e no teatro do que por futebol foram apontados pela companhia como comportamentos passíveis de suspeita dos pais em relação à sexualidade de seus filhos. A empresa defendia ainda que “a família é fundamental. É por isso que a orientação sexual de suas crianças, diretamente responsáveis pela continuação de sua família, é muito importante para você".

Após denúncia de grupos de defesa dos direitos LGBT, o texto foi retirado do ar pela empresa. Uma mensagem escrita pelo grupo L’Amicale des Jeunes du Refuge foi compartilhada pela secretária de Estado para a Igualdade do país europeu, Marlène Schiappa, que acrescentou ainda também que “a homofobia e o sexismo têm raízes nos mesmos estereótipos de gênero. Vamos lutar contra eles juntos.”

Homofobia e ilegalidade

Além da homofobia, o software da Fireworld tinha outro problema: a sua atividade é ilegal na França. Por lá, usar software de espionagens sem consentimento é crime, o que chega a tornar o anúncio tão escancarado da companhia algo um tanto surpreendente — além de dar as dicas, ela prometia que o seu programa seria capaz de “hackear a conta do Facebook” do seu filho.

Após remover o conteúdo do ar, a desenvolvedora veio a público afirmar que o texto em questão servia apenas para ranquear melhor a página em serviços de busca e que o material não foi feito para ser lido por pessoas de verdade. Por e-mail, a empresa lamentou o ocorrido e se desculpou.

"Lamentamos não termos refletido sobre as consequências deste tipo de conteúdo. Pedimos sinceras desculpas a todos aqueles que podem ter se sentido ofendidos por este conteúdo", afirma a Fireworld na mensagem.

Apesar disso, a versão em inglês da página da companhia ainda faz uma série de referências à espionagem, como “detectar a infidelidade em seu casamento” ou “controlar o computador de seu filho adolescente”. Contudo, a Fireworld orienta os seus clientes a seguirem a legislação referente ao tema de seu país e defende que usar o produto “para assegurar que seus filhos não estão se colocando em situações de perigo na internet ou nas redes sociais se aproxima de ser algo legal.”

Cupons de desconto TecMundo: