(Fonte da imagem: Reprodução/UnwiredView.com)

O relógio inteligente Samsung Galaxy Gear é um dispositivo que vem atraindo atenção geral. Embora seu design não seja dos mais apreciados, sua funcionalidade e a habilidade de rodar aplicativos de terceiros o colocam nas linhas de frente da competição neste tipo de produto. No entanto, até mesmo os representantes da fabricante admitem que o gadget sofre com a falta de um diferencial que atraia os consumidores.

Em um evento após o lançamento do combo do Galaxy Note com o relógio, um executivo não identificado da empresa admitiu ao Korean Times que o Gear tem falta de “algo especial”. “Com mais investimento em interface e experiência do usuário, os dispositivos da Samsung poderão ser melhores em termos de satisfação dos clientes”, afirmou. De acordo com o representante misterioso, a companhia irá contratar um grupo de especialistas nessas áreas.

A empresa também defendeu o preço elevado do Galaxy Gear, explicando que ele deve ser elevado a princípio para cobrir os custos de pesquisa e desenvolvimento. Dessa forma, conforme o volume de vendas aumente e os gastos sejam divididos entre mais aparelhos, os preços devem ser reduzidos gradualmente. Atualmente, o gadget custa US$ 299 (aproximadamente R$ 669).

Produtos de cair do queixo

Segundo o vice-presidente de marketing estratégico da empresa, Lee Don-joo, o relógio inteligente é parte dos esforços da Samsung para criar novas categorias de “produtos uau!”. Nesse sentido, ele reforçou que a companhia deve lançar mês que vem na Coréia um smartphone com uma curva acentuada – ou até mesmo parcialmente dobrável.

Cupons de desconto TecMundo: