(Fonte da imagem: Divulgação/Skype)

Mark Gillett, diretor de desenvolvimento e operações do Skype, publicou no blog oficial da empresa um texto desmentindo as acusações realizadas nas últimas semanas contra ela, as quais delatavam possíveis mudanças nas políticas de privacidade adotadas pela organização para permitir a realização de “grampos”.

Segundo os rumores, a atualização do documento teria acontecido para adequar os seus termos de uso com algumas exigências feitas por diversos países de forma que as polícias poderiam monitorar suspeitos de algum delito durante chamadas realizadas pelo serviço de voz sobre IP – o que poderia ajudar em investigações criminais.

As acusações e boatos vieram após a Microsoft, dona do Skype, entrou com um pedido de patente para um recurso de vigilância de dados compartilhados por esse tipo de tecnologia. Outro fato que reforçou essas suspeitas foi a mudança de sistema realizada na surdina pela empresa de comunicação pela internet.

Em sua publicação, Gillett  comenta que "a mudança para os supernodos [o novo sistema mencionado pelos rumores] não teve a intenção de facilitar o acesso às comunicações dos nossos usuários por aplicações de leis".

De acordo com o executivo, a nova arquitetura empregada pela empresa visa aumentar a estabilidade da rede de comunicação mantida pelo Skype, promovendo que seus usuários mantenham conversas com menores interferências.

Fonte: The Big Blog

Cupons de desconto TecMundo: